domingo, 24 de setembro de 2006

Povero Mister

Falar dos pontos perdidos da Sampdoria, das partidas sem vencer já virou rotina. o vexame do final de semana foi o seguinte: empate na casa do Ascoli com a segunda expulsão seguida, do Falcone. Ou seja time com 10 a maior parte do jogo. Flachi suspenso por dois meses, Bazzani desaparecido... Essa é a Samp! E o Novellino, já está me dando nos nervos. Diz que espera um sinal - só se for do além - do time, e continua a dizer que a "squadra" reage bem na adversidade, o grupo é forte, em breve as vitórias vão chegar. Gente!! Ele repete isso há exatos... 17 jogos completados hoje. Fala sério! Eu já não aguento mais!!! Fora Novellino! Vai pescar, cuidar da família, se reciclar. Não é possível que um time do calibre da Samp não consiga se acertar. Tem jogadores de qualidade e o pior, fez nesse ano uma ótima pré-temporada e quando o campeonato chegou, só colecionou fracassos.
Sabe, vou concentar esforços na pobre Fiorentina. Coitado do Mister Prandelli. Não merece estar passando por esse momento difícil. A Fiore hoje perdeu, injustamente, diga-se de passagem, para a Udinese, lá no Friuli. Mesmo tendo dominado a partida, graças a "San Morgan De Sanctis", goleiro da Udinese, a bola não entrou. Dava até arrepios. O gol foi benzido. A bola não entrava de jeito nenhum. Povereti, de pontos negativos tem já -16. Já andei fazendo as contas e as perspectivas não são das melhores. A Fiore precisa marcar no mínimo uns 56 pontos para fugir do rebaixamento, ou seja, vencer aí uns 19 jogos de 34 que ainda restam. Do jeito que o time vai... Tá complicado! Prandelli, que é um tipo sorridente, sempre solícito com agente, hoje tava tenso. Dava pra notar que estava preocupado.
O Palermo, de tanto que elogiei perdeu pro... Empoli. Esse campeonato italiano é mesmo bom. Tem cada zebra. Levou dois gols e perdeu um pênalti. Também, não foi o Corini que bateu! A chata da Inter, que eu ODEIO até a morte venceu o Chievo, que quase reagiu. Tá na ponta da tabela. E a Roma? Tá chegando. Fez 4 a 0 no ex-Parma.
Chega de calcio por hoje e pela semana. A fase está ruim.

sábado, 23 de setembro de 2006

What to say...

Por falar em tênis, o esporte anda meio monótono, sabe. Agora que Andre Agassi também resolveu pendurar a raquete, no tênis masculino, por exemplo, sobra o Roger Federer. O rapaz é bom, bom não, é um verdadeiro demolidor. Mas é isso que o torna chato! Chato de tanto ser bom. Eu nem vejo os jogos dele! Não tem concorrente à altura. Fica a competição de um homem só. Roger contra o resto do mundo. Nem me lembro quando ele perdeu o último jogo. Acabou de ganhar o US Open, derrotando o americano Andy Roddick, que, coitado, não teve nenhuma chance. O senhor Mr. Eficiência só não conseguiu ganhar Roland Garros. Aliás, Pete Sampras, outro chato de tanto ser bom, também nunca ganhou R.G. O que significa que quando chega a época desse torneio, lá pra maio, até vale à pena ligar a tv para vê-lo, perder!
Federer, depois de Mats Wilander, é o primeiro tenista a ganhar três Grand Slams na mesma temporada. E ele conseguiu isso duas vezes: em 2004 e 2006. Como é chato ser bom! Fico pensando o seguinte: os adversários de Roger, exceto no torneio francês, já entram em quadra derrotados. Sabem que é difícil vencer o cara. O Federer não perde nem pra ele mesmo!
Já no feminino, a Bélgica é a dona do cenário. Digo isso porque possui duas representantes de peso no circuito, Justine Henin e Kim Clijsters. Depois que as irmãs Williams resolveram se dedicar ao mundo hollywoodiano, o esporte teve uma guinada. Passou a ser mais concorrido. Há ainda a russa Sharapova, que grita demais nos seus jogos. Irritante! Entretanto, uma tática boa. As adversárias vão à loucura. Alguém se lembra da Monica Seles? Essa era a rainha do grito. Parecia uma soprano na quadra, só que bem desafinada!
A Hingis, xará da mítica Navratilova, até que tentou voltar. Venceu um joguinho aqui, outro ali, mas foi fogo de palha. Ainda ssim, consegue estar entre as dez melhores do mundo! Como assim?
De todas, eu admiro a Amelie Mauresmo. Francesa e de personalidade. Não tem a graça e a leveza da Steffi Graff, pelo contrário, tem na força, seu principal aliado. Amadureceu, e hoje está mais preparada mentalmente para os grandes torneios. Está em primeiro no ranking da WTA.
Pelo menos no feminino há competição. Agora, que dá saudades da Navratilova e da Steffi Graff, ah, isso dá!

On the edge of a dream...

Alex Corretja, tenista espanhol de Barcelona, anunciou hoje, aos 32 anos, a sua despedida do tênis. Membro ilustre da armada espanhola que conquistou a primeira Copa Davis para o país, Corretja também venceu em 1998 o torneio Masters, o que reunia então os 10 melhores tenistas da temporada. Para nós brasileiros, ele será lembrado como tendo perdido a final de 2001 de Roland Garros para o ex-tenista Gustavo Kuerten.
Mais um se vai... Com certeza o tênis mundial sentirá falta da classe desse jogador de estilo não muito agressivo para sua época, mas eficiente, e que foi capaz um dia de derrotar o mito Pete Sampras na grama!
O motivo que o fez abreviar sua carreira foi uma cirurgia que sofreu no ano passado no seu olho esquerdo e que, infelizmente, acabou por comprometer a sua visão para a prática do tênis.
Puxa, e pensar que não teremos nem um jogo de despedida...

sexta-feira, 22 de setembro de 2006

Marcus Aurelius to eternity...

Na escola fui sempre uma aluna muito relapsa quando o assunto era História. Hoje, ao contrário, sou uma apaixonada pelo assunto. Uma aluna esforçada, capaz ainda de cometer alguns equívicos, entretanto, muito, muito curiosa.
Em um desses passeios ao "museu literário" de meu pai, "sequestrei" o livro "Meditações" escrito por Marco Aurelio, Imperador Romano. Ele era conhecido como Imperatore Caesar Marcus Aurelius Antoninus Augustus e ainda chamado de "o filósofo".
No filme "Gladiator", estrelado por Russel Crowe, a ápoca retratada data da última campanha vitoriosa do Imperador, e que antecedeu sua morte. Neste momento, na narração de Riddley Scott, ficção se confunde com a realidade.
Ao ler o livro de seus pensamentos, encontrei um relato que coincide com uma das passagens mais bonitas do filme.
Marcus Aurelius, já velho e sentindo que seu fim se aproxima, decide chamar a seus dois filhos para comunicar-lhes sua decisão sobre quem o substituirá no comando do Império. Commodus, o herdeiro natural, nem imagina que ele não seria o escolhido e sim o general Maximus.
Ao saber de seu destino, Commodus inicia então um belo monólogo, que acaba tragicamente. Ele diz a seu pai que aprendeu com o Imperador as sete virtudes necessárias a um bom comandante, sabedoria, justiça, temperança e fortaleza. Diz ainda, o filho amargurado, que no dia que ouvira isso de seu pai, sabia não possiur nenhuma dessas qualidades. Argumentou possuir outras, como, ambição, coragem, abnegação e devoção à sua família e aos ideias de seu povo, mas que nenhuma dessas qualidades estava na lista do Imperador. Ele se sentia como um filho sempre renegado e que jamais conseguiria atender às expectativas de seu pai. Então, emocionado, o Ceasar, em um momento humano, demasiadamente humano diz ao seu filho: "Your faults as a son is my failure as a father", ou seja, "suas falhas como filho, são as minhas falhas como pai." E assim, Commodus, no filme, abraça apertadamente seu pai e o mata asfixiando-o. Em seguida, se auto nomeia o sucessor do Imperador!
Segundo a história, o declínio de Roma coincide com a ascensão de Commodus ao poder. Definido como sendo egocêntrico, volúvel e despreparado para comandar, jamais conseguiu devolver a Roma o ar de República tanto desejado por seu pai.

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

Wake me up When September ends...

Desde que ouvi essa música pela primeira vez, surgiu dentro de mim uma melancolia incrível. Sempre me lembro que roqueiros não tem nada de bad boys dentro de si, embora não mostrem isso com frequência. Pelo contrário, possuem uma sensibilidade que põem à prova muito do que julgamos pelas aparências.
Setembro está acabando e sinto que estou mesmo acordando. Será essa sensação descrita na música tão real para todos nós? Estou acordando de um ano que deixará marcas profundas em mim, um ano que evoca mudanças. Acordando para olhar ao redor e ver que acreditei em pessoas que não mereceram minha confiança. Acordando para perceber que aqueles que me amam de verdade terminarão o ano ao meu lado. Amigos próximos ou que estão longe, mas pessoas de quem tive provas de carinho e afeto nos momentos em que mais precisei. Acordando para ver que também falhei, que me omiti, que errei, que também um dia pensei em abandonar pessoas caras a mim.
Acordando para ver que o Verão acabou, que a época da inocência não dura para sempre. Sete anos se passaram... Vinte anos se passaram... A memória de tudo que passou permanecerá viva e através das dores que senti, descobri quem sou verdadeiramente. Então, que soem os sinos novamente como foi feito quando a Primavera chegou.

Summer has come and passed.
The innocent can never last
Wake me up,
When September ends.

Like my father's come to pass, seven years has gone so fast.
Wake me up,
When September ends.

Here comes the rain again,

Falling from the stars;
Drenched in my pain again,
Becoming who we are.

As my memory rests,
But never forgets what I lost.
Wake me up,
When September ends.

Summer has come and passed.
The innocent can never last.
Wake me up,
When September ends.

Ring out the bells again.
Like we did when spring began.
Wake me up,
When September ends.

Here comes the rain again,
Falling from the stars;
Drenched in my pain again,
Becoming who we are.

As my memory rest,
But never forgets what I lost.
Wake me up,
When September ends.

Summer has come and passed.
The innocent can never last.
Wake me up,
When September ends.

Like my father's come to pass.
Twenty years has gone so fast.
Wake me up,
When September ends.
Wake me up,
When September ends.
Wake me up,
When September ends....


Foto: Spring in Springfield, Vermont, USA.

Corrida ao Pólo Sul


Um fato curioso me chamou a atenção nesta semana. Ao assistir um documentário no National Geographic Channel (Corrida ao Pólo), relembrei que o primeiro homem a fincar a bandeira no Pólo Sul foi Roland Amundsen, um capitão Norueguês, em 1912. Anterior a ele, Robert Falcon Scott, da marinha mercante inglesa, já havia tentado o feito e após um primeiro fracasso, conseguiu em 1912.
A história de Scott, várias vezes publicada na imprensa especializada, foi considerada heróica e terminou de forma trágica, pois na última viagem feita por ele ao Pólo Sul, ele e seus homens morreram congelados em uma barraca. Para muitos, Scott foi o grande culpado pela tragédia. Negliegente por não cosiderar as possíveis adversidades que poderiam surgir na viagem, como o frio excessivo no momento da expedição e a programação de suprimentos para alimentar de forma racional os membros de sua equipe. Através de pesquisas feitas nas camadas de gelo do local, com equipamentos de última geração, descobriu-se que naquele ano, no mês de março de 1912, a temperatura caíra drasticamente na região, chegando a 40 graus negativos, quando deveria oscilar entre 20 e 30 abaixo de zero. Essa queda foi registrada apenas em duas ocasiões, sendo uma delas justamente quando da viagem do explorador inglês.
Para os ingleses, Scott permaneceu herói e para o resto do mundo, seu nome só passou a integrar a galeria dos grandes exploradores, muitos anos depois. vale lembrar que Scott morreu tendo atingido o pólo magnético.
Hoje, no Pólo Sul, os Estados Unidos possuem uma base permanente de pesquisa e recentemente, descobriu-se, que a Plataforma de Ross (Ross Ice Shelf), um "mar" gelo que equivale a uma Alemanha e meia, se desloca a cada ano 9 metros em direção ao norte. Prova do aquecimento global? Não se sabe ao certo. O fato é que com o derretimento das geleiras nos pólos, o nível dos oceanos subirá assustadoramente 60 metros no futuro!

segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Non solo Calcio

Os times de futebol na Itália dão um exemplo de cidadania e compromisso social. A Fiorentina mais uma vez será testimonial da campanha "Corri la Vita", o evento esportivo mais importante da região da Toscana.
Os participantes escolhem correr uma mini-maratona ou então fazem uma leve caminhada pelo centro histórico de Firenze.
Jogadores como Luca Toni, campeão mundial, e o treinador Cesare Prandelli participaram da divulgação do projeto e da campanha publicitária que é veiculada em toda a Itália. Além disso, o clube doa para instituições de combate ao câncer de mama, camisas autografadas dos jogadores e provove inscrições para a corrida no estádio Artemio Franchi antes das partidas.
Prandelli inclusive, no ano passado passou a ser testimonial e partcipante ativo da campanha, após descobrir que sua esposa estava com câncer de mama pela segunda vez.
Uma parte da renda do evento será repassada às instituições que trabalham na pesquisa para a cura do câncer de mama e outra será dada a hospitais para o tratamento cirúrgico e reabilitação das pacientes.
Um belo gesto que abre o coração dos torcedores e mostra ao mundo que ser torcedor não é só ir ao estádio brigar pelo seu time. A consciência do poder do esporte na alma das pessoas é o maior prêmio que jogadores e dirigentes podem oferecer à sociedade. Palmas!!

domingo, 17 de setembro de 2006

Avalanche!!

Hoje recebi uma visita especial. Daddy veio almoçar aqui em casa e atacou de "chef". Depois o convenci a ficar mais um pouco para acompanharmos Grêmio e Botafogo pela TV.
Que barato ver a torcida gaúcha comemorar os gols de seu time. O movimento feito foi apelidado de avalanche porque os torcedores descem em bando todos juntos para próximo do alambrado para vibrar com os jogadores.
Quem diria? O Grêmio depois de penar no chamado "purgatório Serie B" é vice-líder do Brasileirão e desbancou seu arqui-rival, Inter.
Será que o time vai provocar outras avalanches, ou melhor, outros estragos por aí? Desde que não seja contra meu Verdão-Vascão, tudo bem!

Meu avião preferido é o Concorde. Infelizmente, nunca tive a chance de estar dentro de um, mas já pude vê-lo de pertinho em três ocasiões, sendo que uma delas foi aqui no Rio, um pouco antes do avião ser retirado da aviação comercial.

O avião fazia rotas para Nova Iorque e Washington, as cidades de Miami, Caracas, Santa Maria, Dakar, Bahrain, Cingapura e Cidade do México. Em 2003, após um trágico acidente na França, as companhias British Airways e Air France decidiram encerrar os vôos da aeronave.
O Concorde permanece um marco para a aviação comercial do mundo. Foi o primeiro avião supersônico a ser usado no transporte transatlântico e a sua velocidade - maior do que a da rotação da terra - fazia com que o passageiro saísse após o pôr-do-sol em Londres e chegasse à Nova Iorque quando ainda era dia!

Airports...trips and so on...

Em cada cidade que visitei nesses anos de turista, sempre tive a curiosidade de conhecer os aeroportos, mesmo se não estivesse viajando de avião. Parece meio neurótico, mas aeroporto é aeroporto!!

O mais bonito é Heathrow, em Londres e ainda é considerado o maior aeroporto de tráfego internacional do mundo com uma média de 460 mil pousos e decolagens por ano. 80% do seu movimento anual de 55 milhões de passageiros é através de vôos internacionais.
O mais assustador é o JFK em Nova Iorque. Assustador pelo trânsito de pessoas e aeronaves. Me recordo que sentada esperando meu vôo para o Brasil, tinha a sensação de que uma vião pousava e decolava no terminal a cada minuto. Impressionante. Segundo li, o JFK foi responsável pelo trasnporte de 41 milhões de pessoas só em 2005. Apesar do número, esse não é o maior aeroporto do mundo em movimento de passageiros. Quem detém essa marca é o Aeroporto de Atlanta, também nos EUA, que tem movimento de mais de 82 milhões de pessoas/ano.
Mais uma curiosidade, o aeroporto do Tibet, é o aeroporto de maior altitude no mundo. Está situado a 4739 metros de altitude.

sábado, 16 de setembro de 2006

Psicologia de um vencido


Poesia, musicalidade, realismo material formidável. O destino cruel de todo ser humano após a morte: a decomposição corpórea, a putrefação. Palavras pesadas que chocaram toda uma geração. Admirável poeta, Augusto dos Anjos me encantou desde meus tempos de estudante colegial. Não ao acaso, creio, resolvi estudar psicologia. Pensava em poder desvendar os segredos da alma humana... Porém, nem os da minha até hoje consegui desvendar!

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundíssimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância...
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme - este operário das ruínas -
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!