quinta-feira, 29 de março de 2007

Profissão: bomber.

Não. Nada de Macgyver, Jack Bauer ou nenhum outro herói da TV que ganha a vida correndo riscos. A vida de Luca Toni, é assim digamos, cheia de emoção nos gramados. Longe de caçar bandidos e terroristas, seu metiê é o de achar o caminho do gol. Quanto mais rápido e em mais vezes, melhor. Há sempre a esperança de que no final, como faz Macgyver, algum plano mirabolante é colocado em prática, e ele salvará seu time. A diferença é que para os heróis da telinha o dia tem 24 horas. Para Luca ele é composto de dois tempos de 45 minutos cada, com direito a 15 para o refresco e Gatorade!
Ele é aquele que não enjoa mais de marcar gols. Basta mandá-lo em campo para que você tenha garantido o grito tão esperado. Por mais que demore, ele acaba por chegar.
Seja em Brescia, Palermo ou Firenze, o encontro se dá de forma bombástica! Para uns torcedores ele é prazeiroso, para outros vira pesadelo. Os Brescianos sentiram o gostinho, os palermitanos o sabor amargo do abandono à beira do altar, e para os florentinos, o tão esperado sim, e promessa de anos felizes com direito à brinde e festa para debutar nos salões europeus em alto estilo.
Eu tinha que colocar aquela foto dele com Mister Pranda de peruca roxa, mas não a encontro. Foi a celebração pela conquista da Chamipons no ano passado. Infelizmente, no Reality Show Futebol Clube, os casamentos não são para sempre. Mesmo assim, que seja eterno enquanto dure. Lamento que a Sampdoria não tenha sido convidada para a festa. Cantaríamos "We are the Champions" com muito orgulho.
Toni 2 x Escócia 0. Placar final.
Epa...será que Luca faz sua contagem de mil gols... Só hoje foram 2!
E quem disse que precisamos de Totti?