segunda-feira, 26 de março de 2007

Sonhos...Dreams...


Esse post é dedicado á querida amiga Val. Ela me inspirou a pensar sobre sonhos, de novo. Então compartilho um que tive na noite passada.
Nesses últimos meses algumas coisas povoam minha mente. Como por exemplo, uma imensa vontade de (re)encontrar finalmente a Italia, só que desta vez mais madura do que da primeira vez e consciente do motivo que me leva lá. Esse país é a outra parte de mim, que uma dia eu iria ter que encontrar e confrontar, para conseguir viver em paz com o destino que a vida me reservou.
Sempre que começo a pensar em viagens eu começo a sonhar com aviões. E o contexto nos sonhos é sempre o mesmo. Eu perco o avião, eu me perco no aeroporto, o carro não pega, eu vejo o avião cair sobre meus olhos, enfim, acordo, e moral da história: acabo nunca viajando. Como na vida real, planos e planos, e eu acabo nunca viajando.
Meu lado psicóloga entende perfeitamente o significado disso tudo. Meu medo de viajar de avião, aparece disfarçado, pois nunca concretizo as viagens. Quando criança, em todas as ocasiões que tive de viajar de avião, eu tinha crise de asma e/ou otite. Sempre me via realmente quase impossibilitada de viajar. Agente cresce e aprende, ao menos, a entender e controlar determinados comportamentos. Mas no sonho, a realidade foge ao nosso controle.
O último dos sonhos teve um elemento extra, ao qual atribuí o mesmo significado. Estou no saguão do aeroporto sozinha. Cheguei dois dias antes da data da viagem. Estranho. Não sei meu destino, mas no passaporte vejo a validade até 2005. Estamos em 2007, meu visto me garante a autorização para entrar em um país, mas o passaporte não vale mais.
Informam-me que a Polícia Federal suspendeu a emissão de passaportes novos (fato real, aliás). Abro minha carteira e vejo que tenho apenas R$150,00 para viajar. Que alívio! Como vou viajar com apenas R$150,00? Acordo. Você entendeu?!
Que graça teriam os sonhos se fossem fáceis de entender...