quarta-feira, 16 de maio de 2007

Finalmente....

Desde que assisti ao filme 'Syriana', algo me intrigava. As músicas. Tenho uma paixão inexplicável também pelos países do Oriente Médio. A cultura deles me fascina, as sonoridades, as comidas exóticas, as belas paisagens desérticas, que anseiam pela chuva (!), os rostos das pessoas, enfim, tudo.

Quando vou ao cinema, ou sento para ver um filme em casa, tenho sempre na cabeça a idéia de uma experiência que mistura imagem e som. Com 'Syriana', achei que tudo se encaixara com perfeição. Busquei incessantemente a trilha sonora deste filme até conseguir encontrá-la e escutá-la diversas vezes para escrever algo que me desse a sensação de muito do que acho neste mundo cruel de matança e ambição por dinheiro e poder.

Tentei, porque não tenho pretenções poéticas, 'emendar' pensamentos musicados, embalados por uma das canções que escutava um dia, quando estava no metrô indo para meu trabalho... Uma produção tosca...

Beirut Taxi
Buzinas de carro ao redor,
Pessoas que vêm e vão.
Entre elas os escombros,
Restos de prédios que ali existiram
Levados por bombas.

Esperanças construídas e destruídas.
Vieram os disparos,
E em seguida, tudo ruiu.
Ao longe um som distante
anuncia o alívio dos que conseguiram escapar.

Em Beirute, as coisas são assim -
Numa esquina lágrimas escorrem
nos rostos abandonados.
Noutra, há a música que toca sem parar.
E mais à frente, um homem que desce de um taxi
que segundos depois explode.
Assustado, ele se vira
sem deixar de caminhar.
Na sua maleta, restam os dólares
Do armamento que acabara de vender.

Em Beirute, as coisas são assim -
Noutra cena, seu carro cruza o deserto,
Ele tenta salvar uma família em perigo.
Ironia do destino.
Da América vem a bomba
A mesma disparada.
Naquele momento,
Em questão de segundos,
Tudo se apagou.
by Cyntia S.