domingo, 26 de agosto de 2007

Clap, clap, clap...

O Montella queimou minha língua. Pouco acreditava no seu sucesso. Estamos na primeira rodada, é claro, e qualquer prognóstico futuro é mais do que prematuro e ilusório. Não há como negar, entretanto, que a vitória da Sampdoria hoje no campo do Siena é animadora. Ganhar fora de casa é algo que os torcedores 'blucerchiati' não comemoram com uma certa frequência. Posso dizer que foi legal acompanhar a partida pela net sem temer pelo destino da 'mia squadra'. A não ser quando o Siena empatou... Mas aí me lembrei que no banco não está mais o Novellino. E sorri. Minutos depois, sai o gol da vitória. Passe de Volpi, preciso, e o gol de Montella.

No fim da tarde, o 'show' dos apelidados pela Gazzetta de 'Spalletti Boys'. Dá gosto ver essa Roma jogar futebol. 'A Roma dá espetáculo. O Palermo se rende', já dizia o site da Gazzetta.it. Sabe, eu vou passar a colecionar esses títulos de notícia dos portais de esporte da Itália. São tão poéticos...

E a Fiorentina? Me lembrei de uma entrevista de Pazzini, o novo 'bomber' toscano, tirando qualquer dúvida sobre sua capacidade de substituir Luca Toni, que partiu para a Bavária no início do verão. Deixou sua marca junto com seu colega 'giovane' Montolivo. São esses os 'azzurri' do futuro. O Pazzini é aquele que deixou os ingleses 'pazzi' em Wembley, lembra?

Honra seja feita, durante a partida da Inter contra a Udinese em San Siro eu achei que fosse uma miragem, mas acabo de ver que não. O Ibrahimovic teve um lampejo 'à la brasiliano'. Um lance para ser visto e revisto. Fiquei estupefata olhando a tv. Quando o locutor disse o nome dele, pensei: 'Ma come? Non credo!' E o Júlio César? Que 'brutta figura'. Mas eu gosto dele, mesmo na Inter, mesmo sendo rubro-negro. A Udinese é mesmo uma pedra no sapato da Inter...


Em uma jornada em que o calor ditou a cadência das partidas, esquentou também o cérebro de alguns destemperados, já anunciados nessas páginas. Um deles atende pelo nome de Silvio Baldini, do Catania, que 'chutou' seu colega Di Carlo, do Parma após uma discussão em campo. Olha o que esse 'senhor' fez...


Há 12 anos atrás, um torcedor do Genoa, Vicenzo Spagnolo, era assassinado à porta do Luigi Ferraris antes da última partida na Serie A do seu time contra o Milan. Por essa razão, no dia de hoje, os portões do estádio foram fechados para os torcedores 'rossoneri'. E de lá para cá, vê-se que a violência entre torcidas tomou proporções ainda mais agigantadas na Europa e por aqui. Dentro de campo, Kaká nem tomou conhecimento dos fatos. Arrasou. Acho que os italianos vão ter que se render mesmo ao talento dos brasileiros.

Capello na RAI? Comentarista na 'Domenica Sportiva'? Vou dormir...