segunda-feira, 20 de agosto de 2007

'Italianos que só sabem copiar'

Quem será o primeiro treinador da Serie A 2007/08 a perder seu emprego? Da Gazzetta dello Sport, tradução e alguns comentários...

Na temporada passada foram 14 os treinadores que perderam seus postos. Contando com as incontáveis idas e vindas clássicas comandadas em primeira mão pelo 'dirigente mor' Maurizio Zamparini, do Palermo e coadjuvadas por seus colegas, não menos 'sangüíneos', Aldo Spinelli, Cellino e Urbano Cairo... Um Quarteto que só não é mais Fantástico, porque a concorrência com a Marvel é desleal. Capitaneados ainda pelo time do Messina, que encontrou seu lugar na Serie B e mudou de treinador bem 3 vezes.

Algumas figuras desapareceram novamente do cenário, como Alberto Malesani, Alberto Zaccheroni, Mario Berett
a, De Biase, Franceso Guidolin... Estarão elas aguardando o toque do celular em alguma praia paradisíaca na Sicília no resto de verão que resta, ávidas por um fracasso, desejando fazer o retorno triunfal para o palco que os renegou? Cenas dos próximos capítulos... Tá certo que no quesito mandar treinador o 'Calcio' ainda tem muito que aprender com os 'brasiliani', mas na hora de fazer trapalhadas, ele anda se superando.


Luigi Del Neri (Atalanta) - De volta à ativa depois de experiências desastrosas, sendo a última com o Chievo Verona. Para a Atalanta, repetir o campeonato do ano passado não será nada fácil, ainda mais sem Donati, Ventola e Vieri. O técnico 'friulano' está mais do que motivado - a permanência na Serie A é uma obrigação e sua permanência ... sei não.

Marco Giampaolo (Cagliari) - Depois das idas e vindas de 2006/07 e um grande final de temporada, merecia maior crédito por parte da diretoria. Ao invés disso, Suazo, Esposito e Langella se foram, e ele já começa o campeonato na corda bamba. Além disso, o Presidente Cellino garante divertimento, para quem está a fim ... Pela foto, Gianpaolo não parece muito, não...

Silvio Baldini (Catania) - De novo em cena, dessa vez no Catania e com um time de vocação ofensiva, que deve dar uma mãozinha. Será suficiente? Podendo jogar as partidas em casa novamente já é uma boa vantagem. Me dá arrepios quando me lembro de Silvio no Parma e a confusão que ele arrumou depois de uma partida contra a Udinese em que os 'friulani' golearam os 'gialloblù'. Ele ofendeu, sem razão, o Spalletti via 'Domenica Sportiva'. Deixou todo mundo numa saia justa...

Luigi Cagni (Empoli) - Goza de uma estabilidade invejada por muitos de seus colegas. Depois do excelente trabalho na temporada passada tem crédito de sobra. Difícil fazer o 'bis', já que a Juve está de volta e não há penalizações para os adversários (lembra do 'Calciopoli'?). A espinha dorsal do time permanece inalterada, com apenas a partida de Almiron. Na Copa UEFA, jogará sem pressão. Repetirá o Livorno na temporada passada?


Cesare Prandelli (Fiorentina) - O corpo e alma do projeto 'viola'. Depois de duas temporadas, pode começar a colher os frutos do trabalho realizado até aqui. Mesmo com um time inferior aos anteriores - sobretudo com a ausência de Toni - é difícil que corra algum risco. Sobra motivação e talento para esse senhor de Orzinuovi. Para mim, deveria ser nos próximos anos o futuro treinador da 'Azzurra'. Quero ver como 'gestirá' Vieri, o 'dono da noite'.


Gian Piero Gasperini (Genoa) - Preciosi não é daqueles presidentes fáceis de se lidar, mas o treinador, mostrou que merece a confiança da 'piazza'. Afinal, depois de anos amargando a Serie B, o Genoa retorna em grande estilo à Serie A, e com um goleador ainda faminto, Di Vaio. Entretanto, uma pulga atrás da orelha sempre aparece quando se trata de time recém promovido. Momento mais aguardado é o 'derby' contra a Sampdoria.


Roberto Mancini (Inter) - Inamovível. Mais pelos resultados obtidos. Moratti parece já ter desistido de flertar com Cappello ou Mourinho. 'Mancio' está com tamanho prestígio que hoje dita as regras de compra e venda no time, como mostra as contratações de Chivu e Suazo. Nem mesmo o fato do uruguaio Recoba, 'pupilo mor', estar à venda balança a confiança de Moratti em seu time. Só que ontem já perdeu a 'Supercoppa'. E 'Massimo de Milano' disse que aquer ganhar tudo nessa 'staggione'. Veremos.

Claudio Ranieri (Juventus) - Pose de intelectual, artista de cinema, menos de treinador. Recém chegado depois de uma temporada milagrosa em Parma de onde saiu deixando poucos amigos. Só não se pode comparar duas 'piazze' tão distintas. Na Juve as expectativas são sempre altas e uma vaga na Champions League é o mínimo que se pode esperar. Difícil que saia brevemente, embora muita gente torça pelo seu fracasso. Precisa de tempo. A pré-temporada não foi lá animadora, mas há de se contar com os novos elementos que chegaram.

Delio Rossi (Lazio) - Já fez milagres na Lazio. E Presidente Lotito sabe muito bem. Tudo bem que a classificação para a fase de grupos da Champions League seria importante, tanto para o time quanto para o técnico, que não possui experiência em competições européias. Reforços chegaram, mas a concorrência está mais aguerrida. Conseguirá tirar proveito dos jogadores que têm a disposição? A torcida da Lazio é que costuma dar mais dor de cabeça do que o time. E olha que o Di Canio nem está mais lá para dar o mau exemplo.


Fernando Orsi (Livorno) - O ex-assistente de Mancini, sobreviveu ao seu primeiro vôo solo. Foi uma aposta do Presidente Spinelli, outro da estirpe temperamental da Serie A . Mesmo com pouca experiência e com um time modificado depois das saídas de Lucarelli e Morrone, qualquer passo em falso poderá lhe custar caro...

Carlo Ancellotti (Milan) - Ele ainda está em Milanelo e respaldado pela conquista da última Champions. Nada parece fazê-lo balançar. Quero dizer, o Berlusconi está cuidando de outras coisas, se voltar a olhar pro Milan, a novela continua. O time ainda é bom, porém mais envelhecido. Provou ser além de um senhor treinador, um excelente gestor de 'recursos humanos'. Esse é o Carletto, que recusou o Parma para ir para Milano... Fez bem, muito bem!

Edoardo Reja (Napoli) - Levou o Napoli à Serie A depois de anos no purgatório da Serie B. O jogo nada tem de brilhante, o que para Napoli, com passado à la Maradonna e Careca, torna-se premissa de gente no estádio e caixa cheio. Precisa mudar a mentalidade do jogo do time, incluir a 'fantasia' que os italianos tanto apreciam. Só esqueceram de avisar que o Roberto Baggio já se aposentou há dois anos! Sugiro Robinho ou 'Dinho'? Será que dá?

Stefano Colantuono (Palermo) - 'Piazza' e presidente estimulantes e exigentes ao mesmo tempo. Zamparini o preferiu a Guidolin, depois do excelente campeonato na Atalanta. Necessita de resultados mais do que imediatos. O time parece bom, ainda mais com a volta de Amauri e a contratação de Miccoli: a incógnita é saber se ele saberá suportar a pressão, que será agigantada se comparada com Bergamo. Nutro uma simpatia pelos sicilianos. Jogar futebol com aquela paisagem, tem que estar sempre sorrindo... Colantuono para mim é mais conhecido das revistas de fofocas porque namorou a Ana Paula Ribas, amiga da Simona Ventura, ex-esposa do Stefano Bettarini...que fletrou com a Flavia Vento, que beijou o Totti, que casou com a Hillary Blasi, que é mama dos bebês número 1 da Itália: Cristian e Chanel!

Domenico Di Carlo (Parma) - Estréia na Serie A. Foi escolhido por Ghirardi para substituir Ranieri. Di Carlo na Serie B demonstrou qualidade tática - italianos adoram falar dos seus esquemas - e bom senso... O Parma perdeu Rossi e trouxe Reginaldo. Será suficiente? Isso o Gianni me manterá informada ao longo da temporada.

Massimo Ficcadenti (Reggina) - Mais um com a difícil missão de susbtituir um treinador que deixará saudades. A Reggina perdeu Bianchi, o que não é pouco. Tentará agarrar-se com todas as suas forças aos gols de Amoruso, que fica, e a Cozza, um que por aquelas bandas já fez muito bem. Isso de se agarrar é um pouco estranho, mas não duvido que possa mesmo acontecer... Esses boleiros nos revelam surpresas...

Luciano Spalletti (Roma) - Dá a sensação de que o seu ciclo de Roma ainda tem muito para render. Parece que nem começou... Ele é o timoreiro de um time que nos últimos tempos joga o futebol mais bonito da 'bota'. E não há motivo para que Spalletti não permanceça por muito tempo na terra do Coliseu. Se ganhar da Inter, então, será premiado com a 'vida eterna' e uma estátua em sua homenagem no Coliseu. E olha que muita gnete apostava que ele não ficaria 1 temporada na cidade...


Walter Mazzarri (Sampdoria) - Premiado com uma grande chance de se colocar entre os melhores treinadores da Italia. Treinará uma Sampdoria aguerrida e ambiciosa (a Gazzetta caprichou nos elogios). Terá também uns desafios pelo caminho, um Cassano sujeito a chuvas e trovoadas e uma abundância de atacantes no banco de reservas. Entretanto, qualquer um que não fosse o Nevellino já seria lucro. Dá gosto de sonhar com essa Sampdoria. Agora, Castellazzi? Ah, não! 'A Hora do Pesadelo' continua... Mister Mazzarri também é apreciador de óculos estilosos.

Andrea Mandorlini (Siena) - Um risco. Veremos se foi calculado. Chega da Serie C com motivação para se relançar no futebol que conta. O Siena é um time sólido e experiente, talvez até demais. Entretanto, tem a confiança da nova diretoria, o que já garante um início de trabalho tranquilo. O módulo com o três atacantes é intrigante - eu disse, os italianos são viciados em tática!

Walter Novellino (Torino) - Chegou a Torino motivadíssimo. Traz consigo caráter e experiência. Seguramente melhorará o resultado da temporada passada. Também, pior não dá para ser, a não ser que vá parar na Serie B! Conseguirá a tão sonhada renovação. 'O muro das lamentações desloca-se de Genova para Torino' (nota da tradutora)...

Pasquale Marino (Udinese) - Em Catania, primeiro encantou com o jogo e depois demonstrou ter dado uma alma ao time, capaz de se salvar na última rodada. Para Marini, profeta do futebol ofensivo, não poderia haver melhor expressão deste nos pés de Quagliarella-Di Natale-Floro Flores. Tentará dar maior equilíbrio a um time com enorme potencial, que nunca foi aproveitado. Difícil, não impossível. Sem contar com a preciosa ajuda do Presidente Pozzo, que quando vê que a coisa está acinzentando, manda todo mundo pra 'ritiro'! E aí a coisa fica preta de vez...


Fotos do Post: Gazzetta.it