quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Ciao, Luciano!

O blog 'Psicologia de um Vencido' rende homenagem a ele. O maior dos tenores. Luciano Pavarotti. Encantador, sublime. Vá em paz. Siga o caminho que sua fé escolheu.

Foi através de sua voz que conheci um dos mais belos versos dedicados à alma feminina, de maneira bem humorada - sem deixar de ser em parte verdadeiros - retirados da ópera 'Rigoletto': 'La Donna è Mobile'. Com sua música, Pavarotti levou a cultura italiana pelo mundo a fora e conquistou muitos admiradores. Entre eles, uma jovem, que apenas começara suas aulas de italiano e já se encantava com suas canções, mesmo sem na época entendê-las.


A mulher é volátil ( La donna è mobile)
como pluma ao vento, (Qual piuma al vento)
muda de acento (muta d'acento)
e de pensamento. ( e di pensiero)

Sempre um amável, ( Sempre un'amabile)
gracioso rosto, (leggiaduro viso)
em pranto ou em riso, (in pianto o in riso)
é mentiroso. ( è mezzognero)

É sempre um infeliz ( È sempre misero)
quem a ela se entrega, (qui a lei s'affida)
quem lhe confia (chi le confida)
incautamente o coração. (ma cauto il cuore)

Também nunca sente-se ( Pur mai non sentensi)
feliz em cheio (felice appieno)
quem naquele seio (chi sul quel seno)
não saboreia amor. (non liba amor)