domingo, 30 de setembro de 2007

'Meglio Tarde Che Mai'

Se você me contasse que hoje, em um único dia Cassano e Quagliarella marcaram seus primeiros gols no campeonato, eu lhe diria: de uma só vez? Fico com a hipótese da coincidência. Uma feliz coincidência. E completo com um sonoro 'ATÉ QUE ENFIM!'

Consta na Sampdoria a presença de um certo jogador chamado Sergio Volpi, que devido a constantes lesões, vai e volta do time. Esteve ausente na vexatória derrota para a Inter de Milão no meio da semana. Hoje em campo, o 'capitano blucerchiato' deu mais um daqueles seus passes milimétricos nos pés do 'talento barese' que acertou o gol e vibrou muito. O primeiro tento da partida foi de autoria de Claudio Bellucci, aquele mesmo que eu havia dito que reclama muito. Jogar bola. É isso que ele deve fazer em Gênova. Viu só no que dá? O último gol 'doriano' foi marcado por Paolo Sammarco.

Do clássico entre Roma-Inter, fica o marcador 4-1. De novo. Esse placar parece perseguir a Roma ultimamente. 1,2,3 4... e um gol de honra, que na verdade, foi o que empatou momentaneamente o jogo, marcado por Simone Perrotta. Impressionante que de uma semana para outra, os cronistas italianos voltaram a exaltar a Inter. Remam conforme a maré. Me diga, foi a Inter que jogou bem, ou a Roma, que nem entrou em campo e que com um jogador expulso, teve suas chances reduzidas de fazer a partida como ela gosta? Até acho que após marcarem o primeiro gol os romanos foram afoitos na tentativa de marcar o segundo, como em Manchester. Roma, um time que definitivamente peca pelo lado mental, sem querer entrar muito no clichê. Agora, Ibra continua 'Demolidor'. Taí, será o apelido que darei a ele. Giuly, o francês vilão, que se esqueceu momentaneamente que não estava jogando 'rugby' ou 'handball' e meteu a mão na bola para tentar tirá-la do gol. Por esse gesto, levou merecidamente um cartão vermelho e deixou seu time com um a menos. O jogo poderia ter tido outro resultado, se não fosse ele, o francês, vilão da rodada.

Teve ainda a Fiore que derrota o Livorno, que permanece com Orsi (expulso), até que mais uma derrota os separe. Será ele, um ex-vice de Mancini, o primeiro treinador a perder seu cargo? Em algum site de esportes do país, já há até uma enquete para os internautas. Primiera 'doppietta' para mais um argentino na Serie A, Daniel Osvaldo. Assistências de mais outro argentino, parente ilustre, o Santana, o Mario Alberto, que também deixou seu nome no 'tabellino'. Pera aí, mas não era a Inter o time dos argentinos na Itália?

Hoje o sofrível Milan do Berlusconi, 'vice-allenatore' em pleno exercício de suas atividades de Presidente do A.C Milan, entra em campo para empatar em casa com o Catania. Na tribuna estava ele, o homem mais poderoso da Itália, observando de perto o que Galliani já deve ter lhe dito inúmeras vezes por telefone e que ele deve ter custando a acreditar até conferir ao vivo. E ainda estava lá o Baldini, o destemperado. Pareceia tão calmo... Em campo na Domenica de futebol, entra no Catania, lá para a metade do segundo tempo, um jogador de sobrenome 'Sabato'. Graças a Kaká, de pênalti, o Milan empatou. Receita de Galliani e sua gravata amarela: 'devemos meditar'. Perguntinha que não quer calar: onde está 'Wally Ronaldo?'

O Napoli perdeu para o Genoa, lá em Nápoles. Gol contra de Cannavaro, o irmão mais novo de Fabio, do Real Madrid e de Sculli para os visitantes. O Napoli está teimando em contradizer alguns leitores desse blog. Ora está em lua-de-mel com a cidade e a torcida, ora entra em crise! Daqui a pouco desperta até o Vesúvio... É aí que mora o perigo. Estranho como o time tem atuações irregulares. Acho que como muitos italianos, acabei por cair no conto do 'fantacalcionapoletanoportenho'. Aquele mesmo que diz que algumas vitórias colocam o time no paraíso, ainda mais se for com gol de argentino - Pampa Sousa ou Lavezzi. O problema é acordar e encontrar-se um dia na zona de rebaixamento com vistas para a cratera do Vesúvio...


Para finalizar o 'Derby della Mole'. Você sabe o por quê desse nome? É em referência à 'Mole Antonelliana', onde está o Museu Nacional de Cinema, construção que caracteriza a cidade de Turim, sede dos dois times: Juventus e Torino. Na ESPN todos pareciam já acontentados com o empate, e eu me incluo nesse time, quando já nos descontos, Trezeget, que estava sumidão no jogo, apareceu e deixou seu nome no 'tabellone'. Santo David Trezeget! Estava me preparando para sair quando ao longe escutei um grito familiar. Gooooolllll...... Sem querer ser chata, a transmissão dessa partida na ESPN foi uma das piores que já assisti. Fiquei com a nítida impressão de que comentarista e narrador gostariam de estar em qualquer lugar, menos naquele estúdio. Até acho que o jogo não ajudou muito, mas olha, já teve transmissões melhores.


Celebrações da 'Oktober Fest' em München. Luca Toni e sua bela companheira, Marta Cecchetto. Um casal simpático, sem dúvida, e muito menos glamuroso do que a família Totti. Toni ontem marcou mais um gol na 'Bundesliga'. Vestidos à caráter, ambos tiraram essa foto para ajudar na promoção do evento na Bavária, terra da cerveja quente. Boa cerveja, só para constar!


Fotos do post: Gazzetta.it / Virgilio.it / Sampdoria.it