sábado, 20 de outubro de 2007

8 dá o tom!

Já na primeira partida que abriu a oitava rodada do Calcio, 8 gols foram marcados! Uma abundância de animar qualquer torcedor. Se a Azzurra não tem tamanha capacidade, Roma e Napoli podem contribuir. E como. Teve gol de tudo quanto é jeito. Nos primeiros minutos do primeiro e segundo tempo, pênalti, falta bem cobrada, gol 'Chanel-Cristian', enfim... Se todas as partidas reservassem para nós essa chuva de gols, o 'Calcio' seria imbatível. De Lavezzi, Totti e Perrotta os gols nos 45 minutos iniciais. Nos seguintes, Hamsyk, De Rossi, Gargano, Pizarro e Zalayeta. O jornalista Gianni Cerquetti, da RAI, tem uma 'teoria' com a qual concordo plenamente. A Roma padece com uma incapacidade crônica de concentração, principalmente quando tem jogos na Champions League na semana seguinte. O time já entra em campo pensando no próximo adversário. Só que isso já vem desde a temporada passada. Time que pensa em títulos não pode ter esses altos e baixos.



Para uns muito. Para outros pouco. Na segunda partida do dia, a Inter do 'Massimo de Milano' vence por um magro 1 a 0 o time da Reggina, de outro Massimo, o Ficcadenti. O gol da Inter foi marcado por Adriano. Uma cobrança de falta de Luis Figo que Adri sutilmente desviou com a cabeça. Até aí estava indo tudo bem. Quando foi substituído, entretanto, Adriano recusou-se a cumprimentar seu treinador. Resultado? Hoje a imprensa na Itália já está em polvorosa. E lógico, como ele não anda merecendo muito, o assunto já vai virar polêmica. O que será que esse cara tem na cabeça? Outra, Mancini precisava realmente substituí-lo? Não parece uma certa implicância dele? Podiam ser mais políticos, né? Um aperto de mão e um sorriso amarelo cairia bem no contexto e eles sairiam bem na fita. Alguém é bombeiro? Estão precisando de um para apagar um iminente incêndio em La Pinetina!