domingo, 4 de novembro de 2007

'The Captain Of Her Heart'

A décima primeira rodada da Serie A se caracterizou por um enorme número de partidas que terminaram em empate. Dos dez confrontos que aconteceram nesse final de semana, sete terminaram com o placar 'dois pra lá, dois pra cá'. Engana-se quem acha que uma partida que termina empatada pode ser monótona. Há empates e,... empates.

Por exemplo, a Roma. Visita Empoli e depois de abrir 2 a 0 no marcador, deixa os toscanos igualarem o resultado já no finalzinho de jogo. Que ducha de água fria! E que chuva de gols perdidos por parte dos romanos. Lição que fica: 2 a 0 não garante vitória, principalmente se é a Roma que está em campo. Cada lance perdido pelo Vucinic, eu, perplexa, mudava de canal...


Palermo e Genoa mostraram que torcedor quando vai ver seu time ao vivo, tem que ficar no estádio até depois dos descontos. Corre o risco de sair antes e perder o fim de uma 'Odisséia'. Quando achei que já estava decretado o fim, Amauri, o brasileiro único a anotar gol nessa rodada, empata para o time rosanero. Isso é que é emoção.


No Tardini de Parma, o time da casa, duas voltas em vanatgem no marcador, não consegue resistir aos assaltos de um Siena que acreditou até o último minuto e saiu da Emiglia Romagna com um precioso empate. Será Di Carlo, o desafortunado treinador do Parma, o próximo a receber o bilhete azul?

Da série empates podem ser monótonos, palmas para Livorno e Udinese. A Gazzetta descreve o confronto como um próprio amistoso de pré-temporada. Um belo sol, clima relaxante. Um lance de perigo com Quagliarella e depois um tiro de Bergvold que raspa a trave. E foi só. Ainda bem que não cogitaram esse jogo para a tv...


Vitória mesmo vem da inconstante Sampdoria. Derrota o Cagliari lá na Sardenha. Trata-se apenas da segunda vitória do time fora de casa. Sabe quem abriu o marcador? Ah, ele, 'meu' capitano! A chuva de domingo já anunciava que algo diferente iria acontecer. Caracciolo, até ele marcou gol. Por fim, Maggio, que andava às voltas com problemas físicos deixa seu nome no tabelone. Todos os gols foram anotados no primeiro tempo. Como torcedora da Sampdoria, acompanhando pela net, não dá para confiar num resultado assim tão positivo de cara. Passei os outros 45 minutos rezando ... Deu certo!


Na grande partida do dia, à noite, se enfrentaram Juventus e Inter. O jogo foi atrasado por 15 minutos, pois o ônibus da Inter ficara preso em um engarrafamento a caminho do Estádio Olímpico de Turim. Como bem disse o Lancellotti, não é só aqui que temos 'coda' nas estradas e ao caminho do estádio. Em campo, Ibra enfrentando seu ex-time. Foi recebido com vaias, claro. Ele e Chiellini pareciam ensaiar uma dança. Onde um ia, outro ia atrás. No final, devem ter trocado telefones... Ranieri tira Del Piero e coloca Camoranesi. Menos mal que foi ele que empatou a partida, senão... Para os interistas, gol de Cruz, o homem da kriptonita.


No fim, ontem o Milan, depois de vencer a Samp durante a semana, em San Siro, empata com o Torino de Novellino. E Di Michele voltou. Frase dita nos arredores de Milão: jogar em San Siro faz mal à saúde. Pergunte somente ao Milan. Em casa fez 6 jogos, perdeu 2 e empatou 4! Ou seja, ainda não venceu em seus domínios. Algo que parece aceitável se falarmos de time da parte esquerda da tabela, mas em se tratando de Milan... Eu mesma não me lembro, em anos de Serie A, de ver o time sair de campo com vaias ao fundo. A boa nótícia é que Ronaldo está no grupo que enfrenta o Shaktar Donetsk nessa semana pela Champions.


A Fiorentina vence a Lazio com um vexaminoso Ballotta. Subiu aos Céus, convidado para um banquete com os Deuses depois de quarta-feira, bebeu vinho com eles e ontem, desceu ao fogo do Inferno e se queimou. Pazzini teve a bola nos seus pés e não a deixou escapar. 1 a 0. 'A Fiore vola!' E jogava sem Mutu e Vieri, os atuais trascinatori della squadra.


Fotos do post: Gazzetta.it