sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Meu nome é Zebra!

My name is zebra. Je sui le zèbre. Yo soy la cebra. De vez enquando apareço nos gramados e quadras de tênis pelo mundo a fora. Uma de minhas aparições mais marcantes nesse século foi na Euro2004, no dia 04 de julho, quando numa final emocionante estive vestida com as cores da Grécia. Nesse dia, os gregos triunfaram sobre Portugal e são os atuais campeõs europeus de futebol.

Desde a semana passada, estou na Austrália. Mesmo sob o forte calor e com medo de ser alvo de investidas de cangurus, onças, tigres e afins, arrisquei-me numa viagem de ida e volta. Uma aparição fulgaz, mas arrasadora.

Recapitulando minhas façanhas (não sou modesta, admito), na chave feminina, a belga Justine Henin padeceu comigo nas quartas-de-final. Mandei-a embora para a Bélgica sem pensar duas vezes. Disse: 'Vá!' E ela foi. Não consegui resistir ao charme da Sharapova e de seus gritinhos. Nunca gostei dessa tal Justine... Fico sempre esperando o momento para dar minha investida e deixá-la sem condições de contragolpear. Dessa vez deu certo.

Na chave masculina, já na semi-final, ninguém me segurou. Parti para cima de Rafael Nadal e de Roger Federer. Disse a eles: 'Sumam daqui! O sol nasceu para todos!' Fui um tanto agressiva. No fim, eles entenderam e deram passagem aos mais novatos.

O próximo Grand Slam é Roland Garros. Deixa eu correr para comprar logo a passagem. Primeira classe, óbvio. Mando notícias de Paris. Adieu!


Não convide a Zebra para sua festa...