domingo, 18 de maio de 2008

Hora de dizer Ciao!

Terminados os principais campeonatos europeus. Entre lágrimas de alegria, pausa para alguns momentos de emoção. Atletas que abandonam os gramados após vitórias, outros abandonam com uma ponta de desilusão. E há aqueles cujos gols são escassos, mas que no apagar das luses, saem do palco ovacionados pela platéia.

No sábado, na última partida da Bundesliga, Oliver Kahn, eleito o melhor jogador da Copa de 2002, e segundo melhor no mesmo ano, despediu-se dos gramados. Ganhou de presente mais um super prato cravejado de pedras. Foi o 21º título nacional do Bayern de Munique e o 8º do goleiro, que venceu ainda 6 Copas da Alemanha, 1 Liga dos Campeões, 1 Copa da UEFA e 1 Mundial Interclubes. Pela seleção alemã, a glória maior vem do longínquo 96, quando o Nationalmannschaft venceu a Euro realizada na Inglaterra. Auf Wiedersehen!


Cafu despede-se do Milan com gol. Marcou o terceiro na vitória do time rossonero sobre a Udinese. Desde 97 na Itália, quando assinou com a Roma até 2003, Cafu conquistou dois scudetti, entre tantos outros títulos.
Seguindo os passos de seu conterrâneo, o lateral equerdo ex-são paulino, Serginho, deixa também o clube após 9 anos. Teve sua passarela na partida de hoje, quando substutuiu Inzaghi aos 36 minutos do segundo tempo. Adeus!


Em Portugal, Rui Costa sai dos gramados para a escrivaninha aos 36 anos. O meio-campo defendeu as cores de Milan, Fiorentina e Benfica, honrou as cores da camisa da seleção de seu país. Deixará saudosos adeptos benfiquistas. Foi na Fiorentina, onde venceu 2 Copas da Itália que o Senhor Costa viveu grandes momentos, formando uma dupla explosiva com o argentino Gabriel Batistuta. Seus 7 anos na Toscana são lembrados até hoje. Nem o Scudetto vencido com o Milan foi tão mágico e representativo para a carreira do Português. Em Milão, Rui tinha papel de coadjuvante, equanto que em Florença foi diretor, produtor e dividiu o papel de ator principal com Batigol. Para maiores detalhes sobre a carreira do jogador, sugiro o excelente post no blog Doce Ilusão (http://jp-doceilusao.blogspot.com/2008/05/ciao-maestro.html)


Dos gramados para as quadras de tênis. Nessa semana, a plurivitoriosa belga Justine Henin anunciou sua aposentadoria do esporte. Com apenas 25 anos, ela venceu 41 títulos, sendo que destes, 7 foram de Grand Slams. Segundo artigo da Gazzetta dello Sport, 'Justine foi a única capaz de superar o poderio de fogo das irmãs Williams. Conjugava fantasia, força, talento e determinação. Seus golpes permanecerão como os mais perfeitos produzidos nos últimos 15 anos', o que a faz ser comparada ao jogo estiloso praticado por Martina Navratilova. Au revoir!