sábado, 30 de agosto de 2008

O Calcio está de volta!

Aleluia! Depois de três meses, uma Eurocopa e os Jogos Olímpicos, o Calcio está de volta. Já vem tarde pois fez falta aos sábados e domingos.

Alguns confrontos interessantes acontecem logo na primeira rodada. É o caso de Fiorentina-Juventus. Outro embate que merece destaque neste blog é aquele entre Sampdoria e Inter de Milão no Estádio Marassi de Gênova.

Enfrentar a Inter é sempre um desfaio para qualquer time. Nste ano, com a vinda do treinador português José Mourinho, todo e qualquer time quer ser candidato a tentar tirar pontos do time da capital da moda. Me contento com um empate, mas sempre sonhando que algum milagre pode acontecer. Em alguma curva do caminho a bola desvie na barreira e engane Júlio César e eu escute o grito de gol do narrador da RAI. E lembrem-se que meu lema atualmente é 'Impossible is nothing!'

Para esse confronto, Mister Mazzarri, o dono da casa, está muito otimista. Em entrevista aos jornais esportivos, ele afirma que 'temos jogadores capazes e sabemos que podemos lutar de igual para igual contra qualquer adversário'. Desssa forma, a Sampdoria dá o pontapé inicial de seu campeonato com: Mirante, Campagnaro, Gastaldello, Accardi, Stankevicius, Sammarco, Palombo, Franceschini, Pieri, Cassano e Del Vecchio. No banco de reservas, a esperança de gols para a temporada, o uruguaio Fornaroli.

Do outro lado, na Lombardia, as expectativas são ainda maiores uma vez que o grande estreiante da rodada se trata de ninguém mais ninguém menos que José Mourinho, a grande contratação da Inter para os próximos campeonatos. Ele chega com a obrigação de vencer títulos, sobretudo a Liga dos Campeões.

Difícil será imaginar como a Inter deixará de vencer alguma coisa nessa temporada. Além do treinador, a novela Mancini no clube, não o Roberto, mas o Adamantino, finalmente chegou ao fim. O mesmo não aconteceu com o flirt entre o clube e o inglês do Chelsea, Lampard. O jogador permanece em Stamford Bridge, resistindo à tentação das massas e dos vinhos italianos.

Atualmente, uma das maiores preocupações em Appiano Gentile e descobrir como esse time consegue ter tantos jogadores no Departamento Médico. A lista é imensa e quase forma um time: Adriano, Chivu, Samuel, Burdisso, Rivas e Vieira.

A Inter vem pra campo com: Julio Cesar, Maicon, Cambiasso, Materazzi, Maxwell, Zanetti, Stankovic, Muntari, Figo, Ibrahimovic e Mancini. Mourinho tem ainda as opções de Crespo, Balotelli e Cruz para o ataque.

Forza Samp e bem-vindo de volta, 'Calcio'!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Um Sonho de Liberdade


Há um tempo atrás, assisti a um filme tocante. 'Um Sonho de Liberdade'. O filme, baseado em um conto de Stephen King, conta a história de um homem que foi parar na prisão acusado do assassinato da esposa dele e do amante dela

Dentro daquele ambiente cruel, em que impera a lei do mais forte, ele conheceu um mundo diferente daquele com o qual ele havia se acostumado. Violência, corrupção, desapego, falta de amor e esperança.

Nesse mesmo lugar, ele conheceu um homem mais velho, preso quando jovem, ou seja, que já havia passado mais da metade da vida naquela prisão. Entre eles, nasceu uma súbita e profunda amizade.

Ambos partilhavam a esperança de que suas vidas pudessem ser melhores e diferentes do que eram até então. Cada um a seu modo encontrava um jeito de passar as horas intermináveis de tédio. Ora fazendo trabalhos manuais. Ora cuidando de livros. Ora conversando. Assim, os anos foram se passando. Até que um dia, após anos e anos, um deles escapou. Cavou um túnel e fugiu em busca daquilo que ele queria, a sua liberdade. Ele sonhava em ter uma pousada em uma praia tranquila no Caribe. E para lá ele foi.

Esse mesmo homem havia deixado uma carta para seu amigo. Nela ele dizia que o esperava lá, naquele lugar que ele sempre quis estar. Deu a ele as pistas para que eles voltassem a se encontrar. Ele nunca perdeu a esperança de que a vida dele pudesse ser diferente. Ele fez com que a vida dele fosse diferente. Ele assim diz: 'a esperança é uma coisa boa, e coisas boas nunca morrem.'

O amigo dele conquistou a liberdade após anos na prisão. Ao sair, não sabia o que fazer. Lembrou-se de sua missão. Encontrar o lugar que seu amigo de cadeia indicara tantos anos antes. No quarto de hotel, ele pensava na vida dele, nos anos que perdeu, em tudo, ou no pouco que teria por viver. Pensou nos mesmos amigos que da prisão saíram e não suportaram viver como pessoas livres. Concluiu, enfim, que com ele seria diferente. E foi...

Quando terminei de ver esse filme, me debulhava em lágrimas. O quanto a amizade é importante. O quanto nossa vida é rica quando temos pessoas boas ao nosso lado. Não importa se elas estão longe ou perto. A amizade vence qualquer barreira. Hoje, nos momentos em que me vejo triste ou quando as coisas não parecem ser da forma como gostaria, me lembro dessa frase, me lembro desse filme.


'Ao final, vemos que podemos prender uma pessoa, seu corpo, mas não conseguimos manter presos sua mente e seu espírito e nem retirar suas esperanças quando a mesma acredita fielmente que vai conseguir o que deseja e luta corajosamente para isso acontecer.' Tatiane Crescêncio em Cine Players

domingo, 24 de agosto de 2008

A Sampdoria 2008-09

Mazzarri: al lavoro!

A troca de comando na temporada passada, com a saída de Walter Novellino e a chegada de outro Walter, o Mazzarri, significou muito mais do que aparentemente se possa pensar. Além da mudança no sistema de jogo, o clube mostrou-se disposto a mudar também o elenco de jogadores.

E foi desta forma que alguns nomes, considerados medalhões, tiveram sua liderança e performance colocadas em questão pelo novo comandante. O resultado, embora questionado ainda por muitos, teve efeito positivo no elenco e reflexos dentro de campo.

A Sampdoria cresceu e conquistou vaga na Copa da UEFA de forma brilhante. Graças ao talento de um Cassano, a princípio regenerado, de um Maggio inspirado e surpreendente e de um treinador que conseguiu motivar um grupo que carecia já há alguns anos de moral. Moral que todo time precisa ter ao entrar em campo jogando dentro e fora de seus domínios.

Mazzarri mostrou ser o homem certo para abrir um novo ciclo no clube. Desde o início, apoiei sua contratação e não tenho dúvidas de que muito do que a Samp conseguiu nesta temporada que acabou foi devido ao seu árduo trabalho e competência.

As derrotas fora de casa ainda acontecem de forma assustadora. Em 06-07 foram 13 e em 07-08, 11. Talvez seja nesse ponto que o time precisa concentrar suas energias no futuro. Na temporada passada, contava-se com um Milan a meia boca, um Palermo claudicante, uma Lazio esquisita e uma Udinese em reformulação. Neste ano, as coisas prometem ser mais aguerridas.

Para a disputa do Calcio 08-09, o clube blucerchiato assegurou a permanência de Cassano no elenco. Trouxe para o lugar de Maggio, Stankevicius, considerado superior ao neo-napoletano. Incorporou o jovem atacante Fronaroli e o meio-campista Dessena, vindo do rebaixado Parma. Para o gol? Bem, no gol, a eterna dúvida e motivo de preocupação a cada investida adversária: Luca Castellazzi e Mirante...

A apresentação oficial do elenco ocorreu na última quinta-feira no estádio Luigi Ferraris. Em cena, a Sampdoria disputando um amichevole contra o time treinado pelo ex histórico, Toninho Cerezo, Al Shabab. A Samp saiu vitoriosa pelo placar de 2 a 0.

Entretanto, com tantas mudanças, para almejar um lugar maior o cenário futebolístico italiano, a Sampdoria precisa de investimentos e continuidade. Não vejo por parte da direção uma ambição maior do que a de estar presente na Copa UEFA nas temporadas que se seguem. Para a Liga dos Campeões é preciso muito mais do que jogadores bons. É necessário poderio financeiro e trabalho a longo prazo. A política do clube parece, infelizmente, caminhar em sentido oposto. Ou seja, se desfazer de um jogador importante a cada temporada. Desta forma, garante dinheiro para a compra de novos talentos que no futuro seguirão os caminhos de Maggios, Quagliarellas e tantos outros, inclusive o próprio Cassano.

Boa sorte para a Sampdoria!
A torcida daqui não faltará.

De Volta Ao Começo

Do alto de sua sabedoria e doses de otimismo, Alfred, o inoxidável mordomo do playboy Bruce Wayne, vira-se para seu patrão e diz:

- Patrão Bruce, você fez a escolha certa.

Bruce Wayne, intrigado não sabe a que Alfred se refere. Com um olhar inquietante, comenta:

- Alfred, quando você quer, consegue ser misterioso e indecifrável. A que você se refere? Pelo que eu saiba, ultimamente não tive que escolher nada. Aliás, nem a roupa que usei no baile beneficiente na noite passada foi escolha minha....

- Bem, o senhor acha que não escolheu nada. Tudo bem. Um exame de consciência mais detalhado revelará ao senhor o teor de meu comentário.

Bruce sai de casa...

Na garagem, coloca as chaves no corvette. Poderia ter se desfeito do carro antigo que pertenceu ao seu pai. Preferiu guardá-lo como lembrança. Nesse carro, brincou no banco de trás. Fingiu ser astronauta guiando sua nave em busca de novas galáxias. Nesse mesmo carro sai rumo a uma nova vida. Bruce Wayne é Batman. Optou por lutar a favor da justiça. Mesmo em tempos difíceis. Essa foi a sua escolha. Dela, ele não abre mão.

E agora? Para onde será que Bruce Wayne partiu com seu corvette? Alguma sugestão?
Caros leitores deste blog, façam vocês essa escolha...

Aproveito para agradecer ao amigo Bruce por ter cedido, gentilmente, a foto de seu carro para ilustrar a reportagem.

sábado, 23 de agosto de 2008

A Ponte Que Cai Segundo Calvin

Calvin: Como eles sabem o limite de peso das pontes, pai?
Pai: Eles vão dirigindo caminhões maiores até que a ponte quebre.
Pai: Então eles pesam o último caminhão e reconstroes a ponte.
Calvin: Ah. Eu devia ter adivinhado.
Mâe: Querido, se você não sabe a resposta, apenas diga.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

1 cm

Da Folha.com

A saltadora brasileira Maurren Maggi, 32, fez história nesta sexta-feira nos Jogos Olímpicos de Pequim ao se tornar a primeira mulher do país a conquistar uma medalha de ouro individual em Olimpíadas em todos os tempos. A atleta cravou 7,04 m logo na primeira tentativa na final do salto em distância e garantiu o primeiro lugar do pódio.

A medalha de prata do salto em distância foi para Tatyana Lebedeva, da Rússia, com 7,03 m, e o bronze ficou com a nigeriana Blessing Okagbare, com 6,91 m.

---- 1 cm que determinou uma medalha mais do que merecida!
Maurren deixou a saltadora russa, Lebedeva, literalmente na chon!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Um Menino Muito Esperto e Um Tigre Tagarela


Calvin: Eu e o Haroldo podemos entrar na loja com você, papai?
Pai: Não, vocês ficam no carro.
Calvin: Humpf. Chute uma vitrine barulhenta e pague por isso pelo resto da vida.
Pai: Vai ser só um minuto. Espere aqui.
Calvin: Ok.
Calvin: Vamos nos esconder e assustar o papai! Talvez ele pense que fugimos!
Calvin: Se deite que eu cubro a gente.
Haroldo: E coloque a sacola em cima.
Calvin: He he! Eu ouço ele se aproximar.
Haroldo: SSHHH! He he!
Pai: Hum, onde será que o Calvin foi? E seu tigre também sumiu!
Calvin: He he!! SHHH!
Pai: É a minha chance de escapar antes que eles voltem! Será que mamãe vai ficar feliz quando souber que eu perdi eles?
Calvin: !!
Calvin: Mamãe não vai gostar nada disso, seu doente! Desculpe estragar sua escapada!
Pai: O quê? Você está aqui?? Oh droga.. isso é, que bom!

Pink Floyd

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

'Just gimme the ball, mate!'

Assistam e 'Find your place in the team'. Eu já achei o meu!

Il Bello Del Giorno

O Salar de Uyuni é considerado a maior Planície desértica de sal do mundo. Situado nos Andes Bolivianos, sua extensão equivale a mais de 12 mil quilômetros quadrados. Ao longe, os cristais de sal mais a água refletem uma luz brilhante ao contato com os raios solares e de tão transparentes, parecem espelhos. Como pode haver um lugar tão belo assim?


Durante os meses de Março e Maio, os visitantes podem percorrer de jipe toda a extensão do Salar uma vez que não há água próxima ao solo e a temperatura ainda não atinge níveis polares na região. O solo é totalmente coberto por sal formando uma camada que chega até a 10 metros de profundidade. Uma imensidão de sal a perder de vista.


Devido ao seu tamanho, superfície plana, alta refletividade quando está coberta de água e mínimo desvio em sua elevação, Salar de Uyuni tornou-se um alvo ideal para ensaios e calibração de instrumentos de sensoriamento remoto que são colocados em órbita terrestre para estudos do planeta Terra.


O local possuiu uma importante reserva de lítio além de conter quantidades significativas de magnésio, boro e potássio. As reservas do local estão estimadas em 10 bilhões de toneladas de sal, das quais menos de 25.000 toneladas são extraídas anualmente. Entretanto, esse valor é suficiente para garantir todo o consumo do país.




Seus principais pontos de visitação são o hotel de sal, desativado, cujas paredes são construídas com tijolos de sal, e a Ilha do Pescado com suas formações de recife e os cactos de até 10 metros de altura.


É possível ainda avistar flamingos, aves comuns nos Andes, que surgem em maior quantidade no período do verão, época das chuvas e quando acontece o descongelamento de geleiras próximas. Daí ser essa época em que a paisagem fica ainda mais magnífica com a água a cobrir o local. A sensação é a de que você pode ver todas as montanhas e nuvens refletidas no planalto de sal e que você não pode dizer se elas estão longe ou quando o céu começa ou termina, assim descrevem os visitadores do país.


Pesquisa e Fotos: Wikipedia.com

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Grande Mister

Mesmo que um pouco atrasado e que o fuso-horário não ajude. Parabéns para um dos preferidos de Lady! 51 anos...

Aproveito para desejar uma ótima temporada para a Fiorentina. Aliás, a camisa do clube pasou a fazer parte da minha humilde coleção. Agora viola.

Cesare Prandelli é o treinador que desejo ver na Azzurra do futuro. Se ainda tiver este blog, podem me cobrar. Meu voto é: Prandelli!

Ronaldo: glória e drama no futebol globalizado

Ultimamente tenho dado sorte com os livros que pego para ler. Nunca achei uma tarefa fácil passar para o papel as impressões que ficam com essas leituras. O livro é um objeto estranho. Ele te encanta, te emociona e te faz viajar nas suas páginas ao mesmo tempo que pode te causar repulsa logo no início e você o deixa de lado.

Há muito tenho um objetivo. Ler livros sobre futebol, mas que fujam da abordagem técnico-tática e coisas afins. Prefiro os que falam de sua história e evolução e a relação que esse esporte estabelece com a economia, política e o desenvolvimento de uma nação.

O livro escrito pelo sociólgo Jorge Caldeira não fica só nisso. Como o próprio nome diz, passa mais por um viés biográfico da carreira de Ronaldo Luiz Nazário de Lima até a final da Copa do Mundo de 2002, vencida pela Seleção Brasileira, que sagrava-se na ocasião pentacampeã mundial no esporte que fascina milhões de pessoas no mundo todo e é febre on Brasil.

O leitor é surpreendido com detalhes do início da carreira de Ronaldo. Ele foi precoce em tudo. Desde sua carreira nos juvenis do São Cristóvão até mesmo na gestão de seus negócios, cuidadosamente planejados pelos seus primeiros empresários Reinaldo Pitta e Alexandre Martins, que viram nele a chance de trazer para o futebol brasileiro um novo conceito de gestão na carreira de atletas. Juntando-se a isso, o fato de Ronaldo surgir em uma época em que o esporte começava a extrapolar o limite das quatro linhas. Ronaldo era dono do seu prórpio corpo, ou melhor, Ronaldo era, e é uma corporação. Uma empresa rentável, sustentada com o suor de seu trabalho dentro de campo, bem como sacrifícios fora dele.

O jogador transferiu-se cedo para o futebol europeu. Conviveu com culturas diferentes, com a discriminação por ser um não-nativo, por não saber se comunicar com os seus pares. Soube aos poucos amadurecer sob a supervisão de uma família, sempre presente. Virou ídolo por onde passou. Infelizmente, como todo jogador talentoso, deixou órfãos os brasileiros que desejam ver craques desfilando nos gramados do país.

Curioso é como esse mesmo futebol globalizado afasta o povo dos espetáculos de futebol. Como Ronaldo, mas hoje em maior escala e mais velozmente, craques surgem da noite pro dia. Muitos de talento duvidoso. São vendidos e fazem ricos seus empresários. Tornam o futebol um negócio em detrimento do espetáculo. Chance de vê-los? Quase nula a não ser pela tela da TV.

As cifras altas dos contratos, os privilégios dados a certos jogadores e a vida de artista da bola se confundem com a vida de atleta da bola. O jogador, apelidado de Fenômeno pelos italianos, conheceu as duas faces da moeda. Sua vida pública passou a ser confundida coma vida de esportista, o que trouxe inúmeros prejuízos para sua carreira. Horas perdidas em vôos intercontinentais para gravações de comerciais. Visitas ao redor do mundo com embaixador da ONU, idas e vindas de relacionamentos que toda semana surgiam nos jornais e revistas especializadas. As inúmeras contusões nos joelhos, talvez até mal curadas por conta de tanta demanda emocional e carga extra de trabalho por conta dos inúmeros compromissos publicitários. O sombrio e misterioso episódio ocorrido na final da Copa de 98. Todos são ingredientes presentes na vida desse que passava de ídolo ferido a herói em cada retorno triunfal ao palco que o consagrou.

Dessa forma, os anos foram se passando para Ronaldo, como se passa para vários outros atletas. Sua carreira foi construída com o resultado da sua performance em campo. E com ele, os salários astronômicos, contratos de publicidade vitalícios, a benesse de todos ao seu redor. Ronaldo não é apenas mais um no cenário do futebol mundial. Muito do que o negócio futebol se tornou hoje, passa pelos seus pés, ou melhor, pelo seu bolso. O livro me fez olhar para ele de maneira diferente. Depois dele, Ronaldo, o futebol nunca mais foi o mesmo.

Para quem se interessar pela obra, seus dados:

Ronaldo - Glória e Drama no Futebol Globalizado

Autor: Jorge Caldeira

Editora: 34


Foto do Post: Saraiva.com.br

For Fun!

Identifique no vídeo abaixo três personagens do esporte... Moleza!

domingo, 17 de agosto de 2008

Addio Presidente

Franco Sensi (1926-2008)

Sensi foi presidente da Lupa Capitolina por 15 anos nos quais a Roma venceu 1 Scudetto, 2 Copas Itália e 2 Supercopas.

Descanse em paz.

sábado, 16 de agosto de 2008

A Bossa de João

Em comemoração aos 50 anos da Bossa Nova, um vídeo de João Gilberto em dueto com Rita Lee...

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Tributo a Madonna V

Frozen

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Tributo a Madonna IV

Open Your Heart

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Tributo a Madonna III

Material Girl

Por que não vejo os Jogos Olímpicos?


Na minha infância, considerava os Jogos Olímpicos um evento imperdível. Acompanhava vôlei, natação e futebol com a mesma paixão que uma amiga vizinha. Éramos duas couch potatoes nessa época. À medida em que fui crescendo, as Olimpíadas foram perdendo seu encanto para mim. A lembrança de Joaquim Cruz chorando no pódio em Los Angeles 84 e as defesas de Taffarel nos jogos de Seul 88 foram ficando esquecidas. A inédita medalha de ouro do vôlei masculino em Bracelona 92 passou a ser apenas uma recordação de uma Seleção espetacular que mostrou ao mudo como ser e se manter eficiente ao longo de duas/três gerações.

Hoje, pouco me interesso pela competição. Ligo a TV e é um show de torcida. Nada informam sobre os esportes em questão. Os narradores e comentaristas mantém-se fiéis ao lado de torcedor que os distanciam do que a tela mostra. Vejo que uma ótima oportunidade de disseminar o conhecimento sobre os esportes menos comuns é perdida no meio de tanta torcida ufanista. E digo, gosto de esportes.

E tem ainda o declínio do desinteresse pelas modalidades à medida em que atletas brasileiros vão deixando de competir por medalhas. É como se tudo se restringisse ao que temos para vencer. Exploram os dramas dos derrotados. As imagens de suas lágrimas e tristezas são repetidas à exaustão e literalmente, o mundo pára para acompanhar tudo isso. Um gosto meio exótico pela tristeza do outro.

Por outro lado, o medalhista, aquele que venceu todos os obstáculos e se tornou um herói, ocupa as manchetes dos jornais especializados. Vira celebridade. Pssamos a conhecer sua família, seu primeiro olheiro, o primeiro treinador, sua cor preferida, seu shampoo, enfim... Tudo isso até que o próximo ocupe seu lugar. Uma coisa meteórica, que chega a me deixar tonta.

A mídia acaba vendendo à população a imagem de que somos um país sofrido, que os atletas trabalham e vencem nas adversidades. Mesmo assim, o sonho Olímpico é vendido. Não somos uma potência olímpica e estamos longe de sê-la. Não consigo entender essa busca incessante para se encontrar e rotular heróis. Me incomoda ver que somos vítimas de um próprio preconceito em que se vencer é um ato heróico e ser derrotado reforça a idéia de que 'pelo menos estivemos lá e temos muito que aprender'. Esse discurso se perpetua e ao invés de impulsionar para mudança e aperfeiçoamento das políticas esportivas do país, torna-se vazio com a desculpa de que aqui falta tudo.

Quem entra para competir possui duas possibilidades: perder ou vencer. Em qualquer uma delas, a vida continua. O atleta volta aos seus treinamentos, prepara-se para as competições futuras. A medalha fica para a história, mas não se pára no tempo. Pelo menos acho que é assim que deveria ser.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Tributo a Madonna II

I Want You

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Tributo a Madonna I

Anversariante da semana, Madonna recebe minha modesta homenagem com os vídeos ou canções dela que fizeram minha cabeça na década de 80/90. Digo 90 porque depois daí, ela não foi mais a mesma para mim. A melhor madonna ficou parada no tempo...

Bad Girl

Psicologia De Um Vencido Recomenda

Filme: Gângster Americano - baseado em fatos reais
Direção: Ridley Scott
Elenco: Denzel Washington, Russel Crowe, Cuba Gooding Jr., Chiwetel Ejiofor, Josh Broli, Carla Gugino e Armand Assante

Ninguém costumava reparar em Frank Lucas (Denzel Washington), o discreto motorista de um dos principais chefes do crime organizado em Harlem.
Mas, quando o chefe subitamente morre, Frank aproveita a abertura para construir o seu próprio império e criar a sua própria versão do Sonho Americano.
Através do engenho e de uma ética rigorosa de negócio, ele alcança a posição de líder do tráfico de drogas na cidade, inundando as ruas com um produto mais puro, a melhor preço.

Lucas derruba os maiores líderes do crime organizado e torna-se, não apenas um dos principais fornecedores da cidade, mas também parte do seu círculo de legítimas estrelas.

Richie Roberts (Russell Crowe) é um policial marginalizado, suficientemente próximo das ruas para pressentir uma mudança no controlo da droga no submundo. Roberts acredita que alguém está a galgar alguns degraus acima das conhecidas famílias da Máfia e começa a suspeitar que um jogador do ‘black power’ vindo do nada, domina agora a cena.

Tanto Lucas como Roberts partilham um rigoroso código de ética que os afasta dos seus próprios pares, tornando-os figuras solitárias, em lados opostos da lei.

Os destinos destes dois homens ficarão interligados à medida que se torna iminente um confronto entre ambos do qual apenas um poderá sair vencedor.

Um filme que nos faz pensar na estreita relação entre ascensão social e crime organizado. Até que ponto uma pessoa pode fazer uso de negócios escusos para se sustentar? O Sonho Americano às avessas coloca um homem ambicioso, na luta por querer ser alguém. Através de que meios? Viciando seus pares nas ruas. Cobrando deles um preço barato, que eles pagam com suas próprias vidas. No fim, fica aquela pergunta perturbadora: quantos assim estão ao nosso redor?

domingo, 10 de agosto de 2008

Na Festa...

Após algumas semanas de calmaria, a cidade de Gotham voltou a viver momentos de tensão. No último final de semana, várias testemunhas voltaram a ver em diversos locais na cidade, o homem que se auto denominou o 'Palhaço do Crime'. A figura, de aparência exótica, aparentemente, ostenta um lado muito mais maléfico do que se poderia imaginar.

Recebemos na nossa redação, fotos de uma de suas mais recentes vítimas. Embora sem provas concertas, o relato da senhorita é de conteúdo aterrorizante. Em uma das fotos pode-se claramente ver com detalhes a face desse homem, que muito já tem feito para perturbar a ordem de uma cidade já vítima de tantos criminosos. Seu rosto é todo tingido por um pó branco. Ele ostenta uma enorme cicatriz tingida em cores vermelhas(foto ao lado). Seus olhos são contornados na sua totalidade por uma sombra preta. Não nos resta dúvida. Ele é uma pessoa que deixaria Hannibal Lester no chinelinho, caso ele ainda estivesse entre nós mortais. Acompanhe o relato de Lady:

------------
Na semana passada fui convidada para participar de um jantar beneficente restaurante All In One, no centro de Gotham. Bruce Wayne era o anfitrião desse evento que reuniu a nata da sociedade local. Eu e meu acompanhante fomos nos sentar em sua mesa. Nela estava o promotor de justiça Harvey Dent e sua noiva, Rachel Daws.

A noite estava agradável. Conversávamos, bebíamos e degustávamos uma ótima comida. Fomos dançar e de repente as luzes se apagaram. Nada mais consegui ver. Aos poucos, a escuridão foi sendo subsituída por feixes de luz esverdeados. Atrás deles surgiu a figra de um homem asqueroso. Ele veio caminhando em minha direção. Puxou-me contra seu corpo e me fez beber de uma taça um líquido que tinha gosto de champagne. Lentamente fui desfalecendo em seus braços.

Quando acordei, estava sozinha numa sala escura. Ao meu lado, meu acompanhante adormecido. Não podia imaginar o que teria acontecido ao resto das pessoas na festa. Não conseguia ao menos pensar em como parei naquele local e como dali conseguiríamos escapar. Ratos e baratas andavam pelo local. A umidade das paredes produzia um cheiro insuportável ao meu sensível nariz. Sentado à nossa frente, o homem com cara de palhaço. Se apoximou de mim e me deu vários tapas na cara. Virou-se para o outro lado. Chutou e cuspiu no corpo adormecido ao meu lado. Nos ameaçou e começou a nos contar histórias bizarras sobre como adquiriu sua cicatriz. A cada hora inventava uma diferente. Ele parecia estar alucinado. Saiu após uma hora porque recebeu um telefonema misterioso. Parecia que ele falava algo como capturar e matar Harvey Dent. Colocar uma bomba no Banco Central de Gotham. Ele fazia uma cara que misturava sarcasmo e sadismo. Seu sorriso era aterrorizante...

As horas foram passando e fomos salvos, enfim, por uma figura toda de preto, com máscara de morcego e tão assustadora quanto o tal palhaço fantasiado. Descobri depois se tratar de Batman, o Cavaleiro das Trevas.

Voltamos para nosso hotel após termos ido conversar com o Comissário de Polícia local, Jim Gordon. Acompanhamos o noticiário todo do dia seguinte na esperança de ouvir alguma coisa sobre esse estranho acontecimento. Nada. Compramos todos os jornais do dia. Nada. Foi então que abri meus olhos. Estava na minha cama. Ao lado jazia o corpo de alguém que parecia dormir um sono profundo. Acendi a luz do abajur para olhar o relógio que marcava 5 horas da manhã! Acabara de ter um dos sonhos mais esquisitos que já tive na vida. Alguém pode me explicar?
------------
Nossa leitora Lady nos escreveu e foi uma das escolhidas para participar de um concurso que premiará as estórias mais estranhas envolvendo Batman. Pouco sabemos sobre ela, a não ser o fato de que ela mora no Brasil, no Rio de Janeiro. E que adora ler as histórias do Homem Morcego. Agradecemos a ela e a todos os leitores que nos enviaram suas estórias. O resultado sairá na próxima semana!

Darling Kinky
Repórter do 'The Gotham Times'

Preparar, apontar, fogo!

Começou a esquentar o clima das pré-temporadas das equipes européias. Nas últimas duas semanas, amistosos e Mini-Copas são disputadas com o intuito de aquecer os motores para os próximos campeonatos que brevemente iniciam. O alvo do blog, o Calcio!


Dentre as surpresas, está o Milan, o novo time de Ronaldinho Gaúcho, que ainda não fez sua estréia oficial pelo clube por estar servindo à Seleção Brasileira nas Olimpíadas de Pequim. O clube, já alvo de desconfiança na temporada anterior, flertou e namorrou com a derrota várias vezes. A última foi para o Manchester City por 1 a 0. O gol dos azuis foi marcado por Bojinov, velho conhecido dos goleiros da bota. A coleção de flops dos rossoneri incluem ainda, derrotas para o Sevilha e Chelsea. Essa última para não esquecer, 5 a 0!

Milan: por equanto só decepção atrás de outra...


Já a Roma de Luciano Spalletti, vive momentos que vão da euforia à depressão. O golpe de hoje foi dado pelo Tottenham. Isso mesmo. O time inglês venceu os romanos por humilhantes 5 a 0! Na semana passada, contra os egípcios do Al Ahly, a vitória por 3 a 1 foi convincente, segundo a Gazzetta dello Sport. A estréia da equipe foi contra os romenos do Steaua de Bucareste. Um sonoro k.o pelos mesmos 3 a 1. Enquanto isso, o time é alvo de espculações sobre a vinda de Júlio Batista, do Real Madrid. Ele vem ou não vem?

A torcida romana espera por Totti e sua esultanza


A Juventus de Turim, que na próxima semana enfrenta o Milan no tradicional Trofeo Berlusconi, derrotou os alemães do Borussia Dortmund por 3 a 1 e empatou sem gols com o Manchester United, num jogo, segundo muitos comentários, insosso. No famoso Trofeo TIM, venceu a Inter de Milão em 45 minutos, empatou com o Milan em outrs 45. Já na Emirates Cup, venceu o Arsenal e sofreu um revés contra o Hamburgo. Logo no início da pré-temporada venceu o Brondby da Dinamarca, no dia 23 de julho!

A Juve de Del Piero: ele é o cara!


A Sampdoria, time da 'Menininha versão blogueira' perdeu no sábado para o Sporting Lisboa por 2 a 0. Nada que a deixasse assustada a ponto de rebelar-se e procurar um novo amor. O time venceu o Monti Pallidi e o Bolzano. Faltam ainda os confrontos contra a Carrarese (time de formação dos irmãos Fillipini), o Siena e a Arábia Saudita. A permanência de Cassano anima os torcedores do time, esperançosos de que as pífias campanhas nas edições anteriores da Copa UEFA não se repitam.



O Bologna de Sergio Volpi, considerado o melhor reforço do time para o campeonato que se inicia, venceu todos os seus amistosos. Os adversários? Nomes impronunciáveis!

Bologna: De volta à Serie A. Pré-temporada animadora?


Capítulo à parte, por vários motivos, a Inter de Milão. Com a mudança de treinador, a equipe sob a batuta de José Mourinho promete uma temporada estratosférica. Ao menos para os jornais italianos. Para começar, o português já se envolveu numa 'saudável e divertida' troca de farpas com o treinador juventino Claudio Ranieri. Dentro de campo, sua equipe já venceu o Ajax e o Bayern de Munique.

A Inter de Mourinho e Ibra: estilo dentro e fora de campo.

Na minha modesta opinião, esses amistosos servem como preparação para a temporada. Não dá para se tirar conclusões sobre um elenco apenas com base nos resultados. Não Concordo com o tom dramático dos jornais italianos que escracham uma equipe após uma derrota e a eleva aos céus quando de uma mísera vitória. Os motores estão se aquecendo apenas. Só lamento que com as Olimpíadas, os canais esportivos do país tenham deixado de transmitir muitos desses jogos...


Fotos do post: Gazzetta.it / Google.com

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Il Bello Del Giorno

Muitas vezes olhamos ao nosso redor e vemos coisas que nos tiram o fôlego. Pode até ser algo que nem está ao seu alcance, mas que povoa sua imaginação, te faz fechar os olhos e se imaginar ali, naquele momento, olhando para uma beleza sem igual. Não há muito tempo, na página do portal Yahoo americano, deparei-me com uma foto da Costa da Namíbia, África. Nela, aparecia a Costa do Esqueleto, ou Skeleton Coast. O local recebe esse nome, pois no passado, devido às condições climáticas desfavoráves (ausência de chuva e vegetação), muitos animais que ali chegavam errantes, morriam, dentre eles, baleias, restando apenas seus esqueletos. Além disso, o naufrágio constante de navios nas proximidades, fazia com que partes destes ficassem expostas a céu aberto nas praias. Com as fortes correntes, esses restos eram trazidos para a terra e ali ficaram. Na verdade, os ventos de tão fortes tornavam praticamente impossível que uma embarcação chegasse até a um local seguro para aportar.

Para os nativos, o local ficou conhecido como The Land God mande In Anger ( a terra que Deus fez enquanto estava com raiva). Para os navegadores portugueses, colonizadores do país, The Gates of Hell (os portões do inferno).

"Skeleton Coast", an evocative name for Namibia's bleak and savagely inhospitable northern seaboard - a maritime graveyard for unwary ships over the centuries whose surviving sailors only came ashore to die in the pitiless wastes of the Namib Desert."


Com esse cenário, não é difícil imaginar que não existe uma árvore nos mais de 1000 km de extensão da costa. A única fonte de humidade que ali ocorre é proveniente do denso nevoeiro que se forma devido à corrente fria de Benguela. Essa mistura de deserto e mar proporciona uma visão magnífica em fotografias, fazendo desse lugar raro, uma das paisagens mais lindas do mundo.


Fontes: Wikipedia.com / Yahoo.com / Namibian.org

terça-feira, 5 de agosto de 2008

A380 nos ares

Desde outubro do ano passado, o gigante A380, fabricado pela companhia européia Airbus, está em operação por duas empresas aéreas distintas. O avião, produzido com o objetivo de atender cada vez mais à demanda de passageiros para grandes rotas intercontinentais e num curto espaço de tempo, é um marco na história da aviação mundial. Com design arrojado e capacidade para carregar entre 555 e 845 passageiros, de acordo com dados da própria empresa, o avião recebeu o apelido de superjumbo.


A primeira companhia aérea a receber a encomenda foi a Singapore Airlines que opera, dentre outras rotas, a de Cingapura a Sydney, escolhida para ser a estréia de seu novo equipamento. Embora a capacidade da aeronave seja de 800 assentos da classe econômica, a companhia adaptou o avião para 399 poltronas dessa categoria, 60 na classe executiva e 12 compartimentos ou "suítes", equipados com televisão de tela plana, camas cobertas com lençóis desenhadas por Givenchy e mesas de escritório.


Jé nesta semana, a Emirates, companhia com sede em Dubai, realizou seu primeiro vôo com o A380. A rota escolhida foi a de Dubai-Nova Iorque. Dentre as inúmeras 'facilidades' que o avião
oferece aos seus passageiros, há a primeira classe com suítes privativas com portas acionadas por controle remoto, escrivaninha, minibar com controle elétrico e um completíssimo sistema de entretenimento. O mais surpreendente, porém, é que um spa a bordo, com direito a dois banheiros completos com chuveiros. Uma sala de estar com bar e assentos de couro também faz parte dos mimos aos passageiros da primeira classe.

16 companhias aéreas diferentes já fizeram seus pedidos à Airbus. Dentre elas, a Emirates figura no topo da lista com 58 unidades. Em seguida a Singapore Airlines, com 19. A australiana Quantas e a espanhola Iberia também estão na lista de espera.

Vale lembrar que pelo seu peso, tamanho e estrutura necessária para o desembarque de passageiros, apenas 20 aeroportos do mundo estão aptos para receber passageiros que voem nesse tipo de aeronave. Infelizmente, por enquanto, o mais próximo que o Brasil chegou ao A380 foi numa rápida visita que ele fez por nossas terras, em dezembro do ano passado. Nenhuma de nossas empresas aéreas demonstrou interesse em adquirir esse brinquedo de aproximadamente 190 bilhões de dólares.

Quanto a mim, dada minha paixão por aviões, quem sabe um dia não voe em um desses? Um dia sonhei em andar num Concorde. Não consegui essa façanha, mas o vi bem de perto aqui no Rio de Janeiro. Bem, acho que já ficaria feliz de encontrar o A380 em algum lugar no mundo!


Fontes: Uol notícias e Folha.com.br

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Una Emozione Per Sempre - O dia em que fui tiete

Não é segredo para ninguém o quanto eu adoro futebol. Só que nunca fui daquelas torcedoras tietes que ficam gritando o nome de um jogador. Sou tímida. Mas para tudo há uma primeira vez. E assim a coluna 'Una Emozione Per Sempre', desse mês será mais uma homenagem, meio que tardia a um aniversariante que tem toda a minha tietagem.

Em algum momento de 2003, Nelson Baptista dos Santos foi anunciado treinador do Flamengo. Nessa época, já sócia do clube, tentava aprender a melhor maneira de raquetar uma bola de tênis sem isolá-la do outro lado da Gávea. A notícia me fez pular do sofá. Me lembrava do Nelsinho de quando o Corinthians venceu um título brasileiro, em 1990-91. Como Palmeirense, eu tinha raiva do time, mas dele não. Que coisa!

Pensei logo em arranjar um jeito de ir até o clube para ao menos conseguir um autógrafo dele. Mas como? Eu não conseguiria abrir a boca. Foi então que a Internet quebrou um galho. Descobri por um acaso que ele possuiu um site pessoal. Fui até lá e mandei-lhe um e-mail. Sinceramente, não aguardava por nenhuma resposta. Ela veio. E com ela a coragem, meio que lá no fundo, foi nascendo...

Peguei o ônibus e fui numa tarde acompanhar os treinamentos do time. Vi tudo desde o início. Cheguei timidamente pelo lado de fora do alambrado e me identifiquei para o treinador. Ele, muito gentil, trocou algumas palavras comigo. Me apresentou ao seu filho, que compõe sua equipe de trabalho e ao seu auxiliar, o ex-jogador, Mauro, que estava ao lado. Neste dia, não tinha câmera nem papel. Precisava era ter coragem para falar com ele. Aquele famoso ice breaker. Ao final da rápida conversa, perguntei-lhe se poderia voltar para então fazermos uma foto. Ele fez que sim.

Um mês se passou. E à Gávea retornei. Fui num dia agitado. Adriano, ex-jogador do time, que defendia na época o Parma, estava lá visitando seus ex-companheiros. Pensei: 'Tirei a sorte grande'. Ocasião tipo 2 em 1. Obviamente, a coragem para falar com o atacante demororu a vir, mas eu fui lá. Contei-lhe que tinha um amigo em Parma que trabalha no clube, que ele conhecia. Conversamos um bom tempo sobre o clube, a cidade e sobre o quanto eu tinha simpatia pelo clube gialloblu. Nesse meio tempo o treino do Flamengo rolava e o frio ficava cada vez mais intenso. A luz natural sumia e foi ficando escuro. Tão escuro que até os jogadores desapareceram...

Percebi que o treino já havia acabado e nada de conseguir falar com o Senhor Baptista. Foi então que o segurança do clube notou a presença solitária de uma moça ao redor dos vestiários e foi investigá-la. De fato, o moço me pediu para me retirar do local. Tive que explicar a ele o que fazia ali e que estava autorizada pelo treinador a esperá-lo pois iria pegar autógrafo e fazer uma foto com ele. Era difícil convencer alguém de que eu era fã do treinador do time, não de Felipe ou Fábio Baiano, muito menos de Cássio, Júlio César ou Fernando Baiano!

Um bom tempo depois, quase venciada pelo cansaço, encontrei Nelsinho e seu filho. Comigo tinha uma entrevista que ele dera ao Lance! logo depois que fora contratado. Pedi que a assinasse. Tinha ainda uma entrevista dada à revista Lance a +. Tudo assinado. Foi a hora das fotos. Sorria de tanta alegria. Encontrava enfim um ídolo, alguém que admirava desde jovem. Tive a chance de conversar com ele e trazer uma recordação desse dia. Fui tiete e não me arrependo.

Alguns dias depois, devido aos insucessos do time, Nelsinho saiu do clube. Assinou com o Nagoya Grampus do Japão. Continuava a frequentar o site dele. Ocasionalmente mandava e-mails quando sabia de algum sucesso dele no Japão. Desejava boa sorte. E o melhor ainda estava por vir. Em um sorteio que ele fazia no site, ganhei um 'kit escolar' do Nagoya. Um chaveiro, um pequeno caderno, lápis, caneta e borracha. Recebi tudo em casa. Mais uma supresa. A vida é una emozione per sempre. Por um bom tempo acabei 'gostando' do futebol japonês e até tinha time para torcer.

Ao Nelsinho (que sei que nem deve ler esse post) eu agradeço pelo carinho e simpatia com que sempre me tratou. Torço sempre por ele, aonde quer que ele esteja.