domingo, 24 de agosto de 2008

A Sampdoria 2008-09

Mazzarri: al lavoro!

A troca de comando na temporada passada, com a saída de Walter Novellino e a chegada de outro Walter, o Mazzarri, significou muito mais do que aparentemente se possa pensar. Além da mudança no sistema de jogo, o clube mostrou-se disposto a mudar também o elenco de jogadores.

E foi desta forma que alguns nomes, considerados medalhões, tiveram sua liderança e performance colocadas em questão pelo novo comandante. O resultado, embora questionado ainda por muitos, teve efeito positivo no elenco e reflexos dentro de campo.

A Sampdoria cresceu e conquistou vaga na Copa da UEFA de forma brilhante. Graças ao talento de um Cassano, a princípio regenerado, de um Maggio inspirado e surpreendente e de um treinador que conseguiu motivar um grupo que carecia já há alguns anos de moral. Moral que todo time precisa ter ao entrar em campo jogando dentro e fora de seus domínios.

Mazzarri mostrou ser o homem certo para abrir um novo ciclo no clube. Desde o início, apoiei sua contratação e não tenho dúvidas de que muito do que a Samp conseguiu nesta temporada que acabou foi devido ao seu árduo trabalho e competência.

As derrotas fora de casa ainda acontecem de forma assustadora. Em 06-07 foram 13 e em 07-08, 11. Talvez seja nesse ponto que o time precisa concentrar suas energias no futuro. Na temporada passada, contava-se com um Milan a meia boca, um Palermo claudicante, uma Lazio esquisita e uma Udinese em reformulação. Neste ano, as coisas prometem ser mais aguerridas.

Para a disputa do Calcio 08-09, o clube blucerchiato assegurou a permanência de Cassano no elenco. Trouxe para o lugar de Maggio, Stankevicius, considerado superior ao neo-napoletano. Incorporou o jovem atacante Fronaroli e o meio-campista Dessena, vindo do rebaixado Parma. Para o gol? Bem, no gol, a eterna dúvida e motivo de preocupação a cada investida adversária: Luca Castellazzi e Mirante...

A apresentação oficial do elenco ocorreu na última quinta-feira no estádio Luigi Ferraris. Em cena, a Sampdoria disputando um amichevole contra o time treinado pelo ex histórico, Toninho Cerezo, Al Shabab. A Samp saiu vitoriosa pelo placar de 2 a 0.

Entretanto, com tantas mudanças, para almejar um lugar maior o cenário futebolístico italiano, a Sampdoria precisa de investimentos e continuidade. Não vejo por parte da direção uma ambição maior do que a de estar presente na Copa UEFA nas temporadas que se seguem. Para a Liga dos Campeões é preciso muito mais do que jogadores bons. É necessário poderio financeiro e trabalho a longo prazo. A política do clube parece, infelizmente, caminhar em sentido oposto. Ou seja, se desfazer de um jogador importante a cada temporada. Desta forma, garante dinheiro para a compra de novos talentos que no futuro seguirão os caminhos de Maggios, Quagliarellas e tantos outros, inclusive o próprio Cassano.

Boa sorte para a Sampdoria!
A torcida daqui não faltará.