segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Il Calcio Che Non Si Gioca, Si Parla

'Che noia questo calcio!'

Estrelando na segunda-feira pós derby, ele: O Marrento 'Mou de Milano'

«Con tutto il rispet­to che ho per Lazio e Atalanta e Na­poli, squadre a cui voglio fare i com­plimenti, io devo guardare a Juven­tus, Milan e Roma. Siamo ancora tutti insieme e insieme possiamo guardare con fiducia al futuro»

"Io ho studiato cinque ore al giorno l'italiano per diversi mesi per poter comunicare con voi giornalisti, con i tifosi e pensate che vi abbia mancato di rispetto? Parla poi Ranieri che dopo cinque anni in Inghilterra ha avuto difficoltà a dire 'good morning' e 'good afternoon'.

"Mi sembra che gli italiani non sono tanto innamorati di calcio come io pensavo, sono innamorati più dello show televisivo. Vedo tutti preoccupati di piccole cose, che nello spettacolo calcio non significano niente, e nessuno preoccupato per uno sport che è importante nel mondo. Nessuno si preoccupa per il fatto che il calcio italiano è considerato un prodotto molto piccolo fuori dall'Italia, non paragonabile alla Premier League. Il Lecce mercoledì ha giocato con 3 portieri e 8 difensori eppure a fine gara tutti si sono preoccupati sul perchè a parlare con la stampa è venuto Baresi. Questo è il nostro mondo, che io ho scelto. La decisione di venire in Italia è stata mia, ma pensavo che l'Italia avesse più passione per il calcio e meno per tutto quello che c'è intorno. Non mi sono pentito comunque di essere venuto in Italia, assolutamente".

Depois da vinda de Mourinho, o
Calcio não é mais o mesmo. Ele adora uma polêmica e não fica calado mesmo. Só acho que de vez enquando é uma atitude sábia ouvir mais e falar menos. E vamos combinar que o time dele em campo anda deixando a desejar...

Essa picuinha dele com o Ranieri chega a ser engraçada, sobretudo porque o treinador Juventino não é de ouvir e ficar calado. Depois de ser chamado de velho pelo prórpio Mou há semanas atrás, ele, Ranieri, na réplica deste fim de semana argumenta que por ser um ancião de seus 70 anos, precisa de mais tempo para aprender o inglês...

Sobre a crítica que ele faz ao modo italiano de viver o futebol, se a modéstia permite, eu assino embaixo. Inclusive, foi um dos motivos pelos quais deixei de acompanhar sistematicamente a Domenica Sportiva, transmitida para o Brasil via Rai Italia. Ao longo dos anos, o programa mais dedicava tempo às infinitas moviolas (tira-teimas) do que ao debate sobre as partidas concentrado em aspectos ténicos. Muitas vezes, as discussões duravam um bloco inteiro do programa, e os convidados quando opinavam ou buscavam algo que fugisse ao tema vamos-falar-mal-da-arbitragem-e-culá-la-pela-nossa-derrota, eram cortados pelo aprsentador do programa. Em dois meses de Itália o cara já sacou isso.

Por fim, Mou, com seu jeito peculiar de ser deve estar atento. Os italianos, da mesma forma que amam um dia, odeiam no seguinte. Não demora para que a fúria impetuosa da imprensa caia sobre ele, um imigrante, que foi para o país ganhando muito e ousa criticar um sistema que se sabe ultrapassado, mas que não deve ser colocado a prova por outro que não seja habitante e falante do italiano. Espere só para ver.

domingo, 28 de setembro de 2008

Vale 1... Vale 2...Vale 3... Vale 4... Vale 5... Vale 6... Vale 7... Vale 8...

'Me desculpem o atraso'

Valentino, ottava meraviglia!


sábado, 27 de setembro de 2008

Mr. Newman's Gone

"Eu não sou capaz de trabalhar mais, não no nível em que eu quero", disse à rede americana ABC. "Você começa a perder sua memória, você começa a perder sua confiança, você começa a perder sua invenção. Então eu acho que o livro fechou para mim", completou o ator, que participou de mais de 60 filmes em cerca de 50 anos de carreira. (da Folha de São Paulo)

Ele foi nobre até na hora de sair de cena. Decidiu viver seus últimos momentos em casa, junto de sua família. Descanse em paz, 'Arquiteto'.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Il Calcio Che Non Si Gioca, Si Parla

Mourinho continua fazendo sucesso na 'Bota'

O bom é que o Calcio não acaba depois de 90 minutos...

Vale a Pena Ver De Novo: O Joelho de Totti
Parece que é uma novela tão duradoura quanto a série teen 'Malhação' da Rede Globo. Totti ainda não fez sua estréia nesse campeonato. Cada semana a volta dele é adiada. Cada abertura do site da Gazzetta é a certeza de encontrar sempre alguma coisa sobre ele e o ginocchio che fa male. E Spalletti coleciona fiascos e ainda sonha com o scudetto... Hein??

O Duelo Fora das Quatro Linhas Continua
Após 3 rodadas, os líderes são Juventus e Inter. Lapo Elkann, da Juventus diz que a Inter é a rival menos simpática de todas. E ainda disse em uma recente entrevista que a Inter é como um supermercado: tem um time que vale por quatro. Essa eu perdi. Será que alguém poderia me explicar?

Sonhar Não Custa Nada
Bastou o Milan desbancar a Lazio que o otimismo voltou a reinar em Milanello. O treinador centenário do clube diz que o time está em recuperação. Berlusconi para fazer campanha (ele está sempre em campanha!) diz que quer vencer tudo nesse ano. As línguas continuam afiadas. Para animar o ambiente, Gilardino, ex-atacante do clube, hoje na Fiorentina, comemora a boa fase na viola. Disse que o esquema de jogo (algo que Lady se recusa a comentar) de Prandelli o favorece. Ancelotti, ao ser indagado soltou o verbo:
“Nosso esquema era voltado para Inzaghi, que nos deu três copas (Liga dos Campeões, Supercopa Européia e Mundial de Clubes).” Tem horas que é melhor ficar calado viu, Gila?!

Acorda, Lady!
Acho que sou a última pessoa do planeta a descobrir enfim que o vice de José Mourinho atende pelo nome de Beppe Baresi. Então é ele aquele cara que já vi ao lado do português no banco de reservas?! Palmas para mim, que vivo chegando atrasada...

Nenhuma Surpresa
A Sampdoria está na zona de rebaixamento com 2 míseros pontos... No comments.
Ballardini no Palermo?! Tem gente que já aposta no time pra Copa UEFA. Pode me cobrar: se o Palermo não trocar mais de treinador nessa temporada eu mudo de time na Serie A!
Antes que alguém me pergunte, o Bologna também vai mal, obrigada. Também, depois de vencer o Milan em pleno San Siro, devem ter achado lá na Emília que nada mais era necessário se fazer nesse ano.

God Save The Queen!
Termino dizendo que meu domingo, além de ter sido especialíssimo, foi em parte dedicado ao grande derby inglês entre Chelsea e Manchester United. Que jogão! Em todos os sentidos. A Serie A que me perdoe, mas o plano B começa a entrar em ação nos dias de clássicos na terra da Rainha.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Psicologia de um Vencido: Dois Anos!


Há dois anos atrás, incentivada por dois amigos, mergulhei de cabeça no mundo dos blogs. Comecei devagar. Pensei em desistir. Fui em frente. Passei por pequenas crises. Continuei. O blog passou a ser uma parte de mim. Tão presente na minha vida quanto meu trabalho. Até tirei férias de uma semana!
O blog me deu algo precioso. A chance de explorar um outro lado de mim. Um lado que curte a vida. Um lado que ama a música. Um ser contraditório que admira a chuva caindo lá fora e um dia de sol quase da mesma forma. Alguém que se descobriu capaz de amar de várias formas.
Hoje me fiz a pergunta: o que seria de minha vida sem o blog para refrescar as idéias? Sinceramente, eu não consigo pensar.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Please, Forgive Me

domingo, 14 de setembro de 2008

Durma Cedo, Acorde Cedo, Chegue cedo

Minha vida anda tão corrida, que meu melhor amigo virou o despertador. Sem ele, não sei o que seria de mim. Estaria sempre atrasada. Faltaria a compromissos.
Se a lógica de Mafalda estiver certa, durante todas as manhãs, daqui até ao final do ano, Deus estará muito ocupado tentando me tirar da cama. Ah... se ele ao menos tivesse um balde de água fria...

domingo, 7 de setembro de 2008

Pelas Ruas


'Bruce ruma para o Cemitério Municipal de Gotham. Lá, pretende visitar o túmulo de seus pais que morreram há exatos 25anos. Ele sente muitas saudades deles e até hoje ouve a voz doce de sua mãe chamando por ele. Do seu pai, recorda-se da voz firme, do cachimbo que ele tanto gostava e dos jornais que lia todas as manhãs. Talvez, Bruce Wayne não seja tão sozinho quanto todos imaginam...'

No caminho para casa, ele pára seu carro numa rua escura. Estranho. Ele sente que está sendo seguido. Ao sair do corvette, vira-se para trás e nada vê. Começa a caminhar por entre becos. Um total silêncio. Sua única companheira é a fina chuva que cai tornando a noite em Gotham mais fria e misteriosa.

Na sua mão esquerda ele carrega um botão de rosas e um pequeno terço. Foi o que lhe restou de sua mãe, Martha, naquela triste noite em que ela perdeu sua vida junto ao seu marido, o pai de Bruce, Thomas Wayne. De repente, seus passos vão ralentando. Quase não sente seu corpo se mover, pois subitamente um medo invade seu corpo, deixando suas pernas fracas para continuar, suas mãos leves que mal sentem os objetos que seguram.

Há um homem jogado ao chão. Roupas sujas, o rosto esangüentado. Os cabelos longos e grisalhos e a barba por fazer. Um forte cheiro exala no ar. Ele quer sair dali, mas algo lhe diz para se aproximar mais desse ser quase sem vida. Sua voz, embora fraca, soa familiar. Ao seu lado está uma garrafa de vodka vazia.

Sem tempo para caridades, Bruce continua a caminhar. Atrás dele desponta um homem vestindo um sobretudo bege. Cigarro na mão e óculos umedecidos pela garoa. Ele é Jim Gordon, comissário de polícia de Gotham que vai em direção à sua casa que fica a dois quarteirões do local. Mas Bruce não sabe disso. Eles são dois estranhos que se encontram, cujos destinos foram cruzados há muito mais tempo.

Com Gordon, Bruce se abre. Assim como seu alter ego Batman. Finalmente revela um de seus mais guardados segredos. A lembrança da morte de seus pais que o traz àquele lugar todos os anos. Um alívio. Assim, Bruce Wayne percebe que tanto ele como Batman não estão sozinhos na enorme Gotham City.

sábado, 6 de setembro de 2008

Lo Stesso

O mesmo. Lo mismo. Lo stesso. Assim é a personagem Maurizio Zamparini. De profissão, Presidente do Palermo Calcio desde 2002. Vulcânico, ele é assim definido pelos que o circundam. Suas decisões são conhecidas do público que acompanham o Calcio, mas acho que só aqui ele dá ibope. Por que? Porque ele não se cansa de surpreender. Gosto de surpresas. Só que acho que agora ele já está se tornando previsível demais.

Depois de inúmeros esoneros na temporada passada, o Palermo começou sua aventura na Serie A e na Coppa Italia com o mesmo treinador com que havia terminado o cameponato passado: o romano Stefano Colantuono. Veio a primeira bomba: o time foi eliminado da Coppa Italia logo na primeira partida pelo Ravenna. Imagino que o homem deve ter ido à loucura. Depois, veio a acachapante derrota para a Udinese na rodada de abertura do Calcio. Foi a gota d'água.

Segundo 'Zampa', o treinador, após esses resultados pífios, não tinha mais seu apoio. E daí para a demissão foi um passo. Enfim, Zamparini nem deu tempo para as bancas de apostas concluírem o mini-torneio anual de quem seria o primeiro treinador a perder seu emprego na temporada. Agora já podemos bancar a aposta de quem será o próximo a cair: Ballardini, o escolhido para ser a bola da vez do Palermo Calcio!

Os cabelos se foram junto com seu emprego. Mais uma vez...

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Consegui!


Quando escolhi ser professora, tinha planos. Uma meta que desejava alcançar. No meio do caminho tive medo e deixei de acrediar que poderia conseguir. Deixei esse sonho de lado por algum tempo. Achava-me incapaz diante de tantos obstáculos. Mas alguém nunca deixou de acreditar em mim. Eu era uma constante lembrança.

Há seis anos exatamente perseguia o mesmo objetivo. Chegar lá era o fim de um ciclo profissional de preparação e o início de um outro. Aquele que me atraía mais: o do crescimento pessoal e profissional. Demorou, mas eu consegui! Não foi sozinha. Terei eterna gratidão por essa pessoa que muito mais do que eu mesma, sempre me dizia que era lá que deveria estar. Estamos juntas novamente.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Il Calcio Che Non Si Gioca, Si Parla

Essa é a nova coluna semanal do blog 'Psicologia de Um Vencido'. Nela, comentarei o que li nos jornais ou ouvi durante as transmissões do Calcio desta temporada. Procurarei aqui comentar o lado engraçado do futebol com as participações mais do que especiais deles, os artistas do espetáculo: os boleiros, os treinadores, os comentaristas e os jornalistas e quissá os blogueiros que também gostam de filosofar de vez enquando...


O Cemitério de Elefantes chamado 'Serie A'
Ontem, na transmissão da partida entre Sampdoria Vs Internazionale, o comentarista da Rai International falava da implicância dos ingleses com o Calcio. A dor de cotovelo deles é tanta que chegaram a apelidar o Campeonato Italiano de Cemitério de Elefantes, afinal, na Serie A estão aqueles jogadores que um dia foram atletas, ou enganaram bem os cronistas e jornalistas pelo mundo a fora. O elenco vai de Ronaldo a Ronaldinho Gaúcho, de Shevchenko a José Mourinho. Opa, esse último ainda tem muito que mostrar, mas a ira dos ingleses por ele ter deixado o Chelsea se fez sentir no comentário.

Sheva: 'Eu voltei!'


Sedorf em 'Sopa de Letrinhas'
Pela manhã, Sílvio Lancellotti, comentarista dos Canais ESPN, discutia com o narrador da partida entre Milan Vs Bologna a melhor pronúncia do nome do craque holandês Clarence Sedorf, que aliás, é casado com uma brasileira. Ele cismou que estava certo...


'Muda o país, mas os boleiros são os mesmos' com Sergio Volpi
Tudo bem gente, sou fã do Volpi e hoje o vi na TV. Para homenageá-lo reproduzo suas palavras em entrevista ao Canal de TV da Gazzetta dello Sport. 'Vencemos uma partida difícil. São três pontos importantes para nós...O Milan estava muito bem, mas o Bologna fez uma ótima partida, lutando e reagindo, enfim, fez o que devia fazer. Viemos aqui para fazer nosso jogo. Sabíamos que para jogar contra o Milan deveríamos permanecer concentrados os 95 minutos e conseguimos. Pedemos algumas chances e tivemos sorte, mesmo assim, fizemos um ótimo jogo.'
Enfim, palmas para o Volpi que conseguiu falar quase 3 minutos, algo raríssmo. Agora, muda o país, mas os boleiros são os mesmos. Esse papo de 3 pontos, adversário difícil, ótimo jogo e coisa e tal é universal. Hoje tive certeza disso...

Contrasto tra Sedorf e o inoxidável Volpi


Um convidado ingrato de nome 'Bologna'
Há vida nesta região Emiliana que não seja apenas restrita à culinária. Enquanto todos os refletores do mundo se voltavam para a estréia de Ronaldinho Gaúcho com a camisa do Milan em San Siro, o Bologna venceu o time da casa por 2 a 1. E Di Vaio tem faro de gol. Sei que ainda é cedo, cedo, cedo, mas aposto nele para capocanoniere da Serie A.

Di Vaio: 'O gol é minha casa!'


Fotos do psot: Sportal.it / Gazzetta.it