segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Il Calcio Che Non Si Gioca, Si Parla

'Che noia questo calcio!'

Estrelando na segunda-feira pós derby, ele: O Marrento 'Mou de Milano'

«Con tutto il rispet­to che ho per Lazio e Atalanta e Na­poli, squadre a cui voglio fare i com­plimenti, io devo guardare a Juven­tus, Milan e Roma. Siamo ancora tutti insieme e insieme possiamo guardare con fiducia al futuro»

"Io ho studiato cinque ore al giorno l'italiano per diversi mesi per poter comunicare con voi giornalisti, con i tifosi e pensate che vi abbia mancato di rispetto? Parla poi Ranieri che dopo cinque anni in Inghilterra ha avuto difficoltà a dire 'good morning' e 'good afternoon'.

"Mi sembra che gli italiani non sono tanto innamorati di calcio come io pensavo, sono innamorati più dello show televisivo. Vedo tutti preoccupati di piccole cose, che nello spettacolo calcio non significano niente, e nessuno preoccupato per uno sport che è importante nel mondo. Nessuno si preoccupa per il fatto che il calcio italiano è considerato un prodotto molto piccolo fuori dall'Italia, non paragonabile alla Premier League. Il Lecce mercoledì ha giocato con 3 portieri e 8 difensori eppure a fine gara tutti si sono preoccupati sul perchè a parlare con la stampa è venuto Baresi. Questo è il nostro mondo, che io ho scelto. La decisione di venire in Italia è stata mia, ma pensavo che l'Italia avesse più passione per il calcio e meno per tutto quello che c'è intorno. Non mi sono pentito comunque di essere venuto in Italia, assolutamente".

Depois da vinda de Mourinho, o
Calcio não é mais o mesmo. Ele adora uma polêmica e não fica calado mesmo. Só acho que de vez enquando é uma atitude sábia ouvir mais e falar menos. E vamos combinar que o time dele em campo anda deixando a desejar...

Essa picuinha dele com o Ranieri chega a ser engraçada, sobretudo porque o treinador Juventino não é de ouvir e ficar calado. Depois de ser chamado de velho pelo prórpio Mou há semanas atrás, ele, Ranieri, na réplica deste fim de semana argumenta que por ser um ancião de seus 70 anos, precisa de mais tempo para aprender o inglês...

Sobre a crítica que ele faz ao modo italiano de viver o futebol, se a modéstia permite, eu assino embaixo. Inclusive, foi um dos motivos pelos quais deixei de acompanhar sistematicamente a Domenica Sportiva, transmitida para o Brasil via Rai Italia. Ao longo dos anos, o programa mais dedicava tempo às infinitas moviolas (tira-teimas) do que ao debate sobre as partidas concentrado em aspectos ténicos. Muitas vezes, as discussões duravam um bloco inteiro do programa, e os convidados quando opinavam ou buscavam algo que fugisse ao tema vamos-falar-mal-da-arbitragem-e-culá-la-pela-nossa-derrota, eram cortados pelo aprsentador do programa. Em dois meses de Itália o cara já sacou isso.

Por fim, Mou, com seu jeito peculiar de ser deve estar atento. Os italianos, da mesma forma que amam um dia, odeiam no seguinte. Não demora para que a fúria impetuosa da imprensa caia sobre ele, um imigrante, que foi para o país ganhando muito e ousa criticar um sistema que se sabe ultrapassado, mas que não deve ser colocado a prova por outro que não seja habitante e falante do italiano. Espere só para ver.