domingo, 7 de setembro de 2008

Pelas Ruas


'Bruce ruma para o Cemitério Municipal de Gotham. Lá, pretende visitar o túmulo de seus pais que morreram há exatos 25anos. Ele sente muitas saudades deles e até hoje ouve a voz doce de sua mãe chamando por ele. Do seu pai, recorda-se da voz firme, do cachimbo que ele tanto gostava e dos jornais que lia todas as manhãs. Talvez, Bruce Wayne não seja tão sozinho quanto todos imaginam...'

No caminho para casa, ele pára seu carro numa rua escura. Estranho. Ele sente que está sendo seguido. Ao sair do corvette, vira-se para trás e nada vê. Começa a caminhar por entre becos. Um total silêncio. Sua única companheira é a fina chuva que cai tornando a noite em Gotham mais fria e misteriosa.

Na sua mão esquerda ele carrega um botão de rosas e um pequeno terço. Foi o que lhe restou de sua mãe, Martha, naquela triste noite em que ela perdeu sua vida junto ao seu marido, o pai de Bruce, Thomas Wayne. De repente, seus passos vão ralentando. Quase não sente seu corpo se mover, pois subitamente um medo invade seu corpo, deixando suas pernas fracas para continuar, suas mãos leves que mal sentem os objetos que seguram.

Há um homem jogado ao chão. Roupas sujas, o rosto esangüentado. Os cabelos longos e grisalhos e a barba por fazer. Um forte cheiro exala no ar. Ele quer sair dali, mas algo lhe diz para se aproximar mais desse ser quase sem vida. Sua voz, embora fraca, soa familiar. Ao seu lado está uma garrafa de vodka vazia.

Sem tempo para caridades, Bruce continua a caminhar. Atrás dele desponta um homem vestindo um sobretudo bege. Cigarro na mão e óculos umedecidos pela garoa. Ele é Jim Gordon, comissário de polícia de Gotham que vai em direção à sua casa que fica a dois quarteirões do local. Mas Bruce não sabe disso. Eles são dois estranhos que se encontram, cujos destinos foram cruzados há muito mais tempo.

Com Gordon, Bruce se abre. Assim como seu alter ego Batman. Finalmente revela um de seus mais guardados segredos. A lembrança da morte de seus pais que o traz àquele lugar todos os anos. Um alívio. Assim, Bruce Wayne percebe que tanto ele como Batman não estão sozinhos na enorme Gotham City.