segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Fim de Semana Rubro-Negro - Parte 1

Preciso aceitar um fato. Ver os jogos do Flamengo é certeza de vitória para os rubro-negros. Nesse fim de semana, novamente a história se repetiu.

Um encontro de blogueiros. Um encontro de amigos. Um encontro entre rivais dentro de campo. Assim foi receber mais uma vez a visita de Michel aqui no Rio. Havíamos combinado de ver juntos Flamengo e Palmeiras. A sugestão dele no início foi recebida com uma discreta empolgação. No fundo, já podia imaginar o que me esperava...

Fomos para o estádio acompanhar a partida do Verdão contra o Mengão. O estádio não estava muito cheio. A aventura começou bem antes. Já no elevador do prédio, atrasados, tentávamos em vão abrir a maldita porta pantográfica que emperrara. Já conseguia em alguns segundos imaginar tudo. Ficaríamos presos ali. Perderíamos o jogo e Michel iria embora sem conhecer o Maraca. De repente a luz! A porta se abriu. Como foi? Pergunte a ele.

Fazia o calor que os cariocas adoram e que faz os mineiros derreterem. Michel trajava seu uniforme de Zico retrô, adquirido na Loja Fla Boutique no dia anterior. Eu, de má fé, coloquei a camisa da Fiorentina, também recém-adquirida. O detalhe é que a Fiore havia perdido seu jogo horas antes. Achava que a camisa da Samp ficaria fora do contexto e obviamente, como ando de birra com o clube, ela não seria a primeira escolha.

Clones de Michel estavam por toda parte. As camisas retrô são moda por aqui. Zicos e mais Zicos estavam ontem no Maracanã. De Mutu e Santana, só se via um, ou melhor uma. Eu mesma. Ao nosso redor só se viam os gringos. Suecos, alemães, ingleses e pasmem, perdido ali um interista. Vestia um boné de seu time.

A partida começou quente pois logo no início o time da Gávea abriu o placar com Marcelinho Paraíba. Em um momento do jogo uma observação. Ibson parecia desligado da partida. De repente ele marca um gol. Depois desse foram mais 2! O cara fez chover no Maracanã. Raios de sol que quase assaram o pobre Michel e cegaram Lady, que já priva de seus óculos, fazia uma força tremenda para se concentrar na partida.

5 a 2! Esse foi o placar da partida. O Palmeiras levou um sacode do Flamengo. Mas para mim, o melhor de tudo foi ver o rosto desse amigo tão especial, vibrando a cada gol de seu time. Fui testemunha de sua primeira visita ao Maracanã. Espero que seja a primeira de muitas. Acompanhados pelo centenário rádio de pilhas de meu pai, nos divertimos pacas. Nada nos deteve naquele domingo de sol escaldante. Só nos restou a hora de nos despedirmos de mais um fim de semana inesquecível. Volte sempre, querido amigo. Prometo que da próxima vez não farei mais strogonoff!

O rádio de pilha de Comissário Gordon: futebol como nos velhos tempos