sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Minha Atlântida


A Atlântida que sonhei pra mim não é um Reino Perdido.
Nela, reina o amor.
De misteriosa, essa cidade nada tem.
É um Reino Único.
Longe de tudo o que o tornaria vulnerável.
Quem chega até ela,
Não deseja nunca mais sair.

Na Atlântida,
Terra Prometida,
O príncipe Namor é o dono do meu coração.
Me enfeitiçou para ser sua sereia dourada
Quase tão belo e perfeito,
Um Semi-Deus.
Como ele não haverá outro.

Mas um dia ao acordar,
Dele só restaram traços.
Lembranças de dias felizes,
Que por mim não teriam fim.

Como uma pescadora,
Parto todas as manhãs
Em busca desse tesouro perdido no fundo do mar.
Me dizem: o mundo é dos que sonham.
Que toda lenda é pura verdade.

Se um dia o tiver ao meu lado,
Direi o quanto me perdi
Tentando encontrá-lo.
Minha Atlântida nunca mais será a mesma
Enquanto a ela ele não regressar.