domingo, 14 de dezembro de 2008

Crônica da Razão de Ser

Acordei com uma pregüiça daquelas. Mal conseguia ouvir os sons ao meu redor. Ao longe, ouvi o telefone tocar... Minha voz nem disfarçava o sono que se apoderou de mim nessas últimas duas semanas.

Hoje, domingo, acordei diferente. Acabo de comprar os jornais. Preparo o almoço especial para a ocasião. Sinto-me leve. É um recomeço. Posso voltar àquela rotina dos jogos, das leituras, dos filmes e das músicas. Colocarei o tênis e rumarei para a caminhada e corrida na praia.

Para quê trabalhar tanto? Para valorizar cada segundo desses dois meses que tenho pela frente. Para relembrar quem sou e o que gosto de fazer. E para no ano próximo ver que tudo acontecerá novamente, mas espero, com algumas novidades inseridas no contexto.

Férias!! Elas chegaram. Finalmente.