terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Semana Italiana III

Gomorra - Livro escrito pelo joralista italiano Roberto Saviano, que vive sob proteção da polícia após a realização do trabalho. A obra descreve a ação da máfia napolitana em todas as suas extensões e como ela afeta a vida dos habitantes locais. Ao longo do livro, você conhece os meandros de ação da camorra, nome pelo qual a máfia é conhecida. Várias histórias são contadas. Assassinatos, brigas de gangues, pessoas normais que sem querer se vêem nas garras de suborganizações que as engole. Tudo isso sob a mira de um governo que parece inoperante para acabar com um sistema do qual ele é apenas mero espectador. Esse é um lado subversivo e oculto do país, numa região em que as pessoas aprendem a viver com ele e se adaptam para sobreviver como podem. O filme homônimo foi o vencedor no Festival de Cannes e chegou a estar na lista de pré-selecionados para o Oscar na categoria de filme estrangeiro.

Meus Vizinhos Italianos - Um livro leve. Tim Parks, o autor, é um professor de inglês que se muda para a Itália junto com a esposa, ela italiana. Parks conta de forma divertida e por vezes irônica as diversas situações que ele vivencia diariamente. Desde comprar pão na padaria até a procurar uma casa para morar na aldeia de Montecchio, próxima a ... Verona!


Uma Educação à Italiana - Continuação de 'Meus Vizinhos Italianos', Parks agora pai, conta como se dá a educação dos pequenos italianinhos. O papel da mamma, o jeito de usar as mãos para se expressar. As férias no litoral. Enfim, a família italiana em casa, na escola, no trabalho e no lazer. Considero imperdível.


Sob o Sol da Toscana - A americana Frances Mayes e seu marido Ed compram uma casa na Toscana. Histórias divertidas e curiosas sobre como se organizar um lugar para morar. Receitas de dar água na boca. Cenário melhor não poderia haver: a Toscana. Literalmente viajei para um lugar sem ter saído do sofá de casa.


Viagem à Itália - Nesse livro, o escritor alemão Goethe narra o período de 1786 a 1788, em que viajou por várias cidades italianas dentre elas, Roma, Nápoles, Verona, Veneza. Meticuloso que era, descreveu detalhadamente todo o seu percurso pelo que chamava de solo clássico.Tarefas banais a que estão sujeitos todos os tipos de viajantes, como comprar passagens de trem, trocar dinheiro em bancos, procurar quarto em hotel e carregar malas, transformavam-se em alimento para a pena delicada e precisa do escritor. Quando se deparava com as obras da Antigüidade, nos museus italianos, o jovem Goethe ficava maravilhado. E eu, encantada com o que ia lendo em cada página.