quinta-feira, 19 de março de 2009

Pippo is Pippo

Arrigo Sacchi, ex-treinador pelo qual não nutro nenhuma simpatia, me surpreendeu nesta semana ao escrever esse artigo sobre Filippo Inzaghi. Uma senhora homenagem...

"Inzaghi, o goleador. Pippo, o infinito. O homem que a cada gol enlouquece de alegria. O jogador que nunca envelhece. O grande campeão que marca sempre. O profissional que vive por sua profissão. O apaixonado pelo futebol que nunca trai. O jogador que faz da obsessão um valor agregado, inclusive Pavesi escrevia que a obsessão é arte. Portanto, o artista que nunca se cansa de jogar, sonhar e marcar. O atleta que sabe se programar para dar o melhor de si. Pippo é orgulhoso, detalhista, um perfeccionista. Estuda adversários, goleiros: não deixa nada ao acaso, treina com seriedade e grande profissionalismo.

Leva uma vida de atleta de alto nível. Seu desafio é perene, onde o dever é finalizar. Talvez seja egoísta, talvez não participe muito do jogo de equipe. Mas no momento oportuno se encontra no lugar certo no momento certo. O gol é sua profissão, sua droga, seu orgasmo e sua vitória. É uma luta perene, um desafio entre ele e o gol.

O futebol é sua vida, e como pessoa inteligente e de grande consciência profissional, Pippo faz de tudo para buscar a excelência. Seus movimentos são quase todos voltados para a finalização. Prevê, antecipa, intui antes dos outros. Possui reatividade e capacidade de movimento e desmarcação extraordinários: parece sortudo, mas é simplesmente competente. Marca com o pé, cabeça, canela, joelho, barriga, etc. O importante é fazer gol.

Pippo é um predador que na área se movimenta como um envenenado. O instinto, unido a vontade, motivação e paixão formidáveis, multiplicam seu talento. Não possui um físico potente e explosivo. Não é particularmente veloz, tem qualidades técnicas (drible, chute, impulsão e passe) normais como o conhecimento do jogo coletivo. Pippo ama o futebol desde sempre, e desde pequeno queria absolutamente se tornar um grande jogador. A extraordinária motivação, unida a orgulho, seriedade, trabalho e amor pelo esporte, foram multiplicadores das suas qualidades.

Além disso, ele soube ampliar os dotes naturais que possui, como atenção, percepção, intuição. Pippo é um fenômeno a ser estudado e imitado em muitas coisas. Não se sabe quando ele terminará de jogar e marcar: a paixão certamente prolongará sua carreira. Ele se renderá tarde, o mais tarde possível. O futebol é sua vida. Todos os garotos que se aproximam deste esporte podem ter, graças a Pippo, uma esperança a mais.

Até mesmo aqueles que não possuem dotes em particular podem obter grandes melhoras desde que igualem seu empenho, paixão e disciplina. Deverão portanto imitar SuperPippo, que aos 36 anos se diverte, marca e sonha como quando era um garoto".

Texto retirado do site Trivela.com, tradução do publicado na Gazzetta dello Sport.