segunda-feira, 27 de abril de 2009

Auf wiedersehen, Klinsi!

Klinsmann: 'Please, give me eins mehr chance!'

Durou menos do que uma temporada completa a passagem de Jürgen Klinsmann no comando técnico do Bayern de Munique. O ex-jogador do clube assumira no verão o cargo deixado por Ottmar Hitzfeld e foi demitido hoje.

Com a árdua missão de substituir um treinador vitorioso, o Bayern colecionou fracassos na temporada. Derrotas e atuações pífias contra adversários mais fracos tecnicamente. Fora da Copa da Alemanha e eliminado da Champions, a equipe corre ainda o risco de nem se classificar para a próxima Liga dos Campeões, já que está em terceiro lugar na tabela.

No último sábado, a derrota para o Schalke 04 foi a gota d'água para que a diretoria tomasse a decisão. Antes, derrota por 4 a 0 para o Barcelona, 5 a 1 para o Wolfsburg, 2 a 1 para o Hertha Berlim, pelo mesmo placar, em casa para o Colônia e mais outros resultados negativos serviram para não dar paz a Klinsmann desde que chegou ao clube prometendo uma revolução.

De fato, por decisões equivocadas durante os jogos, falta de sintonia com o elenco, linha dura implacável com a instituição de 8 horas de trabalho para os atletas com proibição do uso de celular, o treinador tornou-se pouco popular e suas técnicas de motivação não foram suficientes para reverter essa situação. Bem que Neto uma vez disse que, 'jogador derruba técnico, sim.' Esse não foi o primeiro exemplo, e não será o último!

Pelo conjunto da obra, o alemão volta para a América. O Bayern segue sua vida, com Jupp Heynckes assumindo o time, ao menos provisoriamente... Ainda dá pra salvar a temporada... E eu, mais uns pontinhos lá no Blog A4L, pois a aposta certa no Bayern revelou-se um flop, graças ao Klinsmann!

No fundo, a saída do Klinsmann pode render algumas considerações. Primeiro a aposta de mais um grande clube em um ex-jogador sem experiência anterior como técnico. Dá certo em uns e errado em outros, vide o exmplo oposto de Pep Guardiola no Barça. Segundo, um time grande como o Bayern não pode se dar ao luxo de perder uma temporada para se reconstruir após a saída de nomes importantes do seu elenco. O clube depende diretamente dos resultados em campo. Ficar fora da Champions League é inadmissível. E terceiro, a diretoria deveria ter feito de tudo para manter o treinador anterior. Por que deixá-lo sair?


Foto do post: Bundesliga.com.br

PS. Post inspirado em uma conversa com o amigo Michel. Ele merce os créditos pelas idéias que trocamos.