quinta-feira, 2 de abril de 2009

Return To Innocence



Ao olhar para o alto e avistar os 12 andares do enorme edifício da UERJ, subitamente veio em mim uma vontade de gritar bem alto: consegui mais uma vez. Voltar a estudar. Só que dessa vez, volto mais velhinha. Talvez mais experiente e com a certeza de que ainda não acabou. É mais uma etapa. Um desafio para alguém que não desisitu de lutar por algo que quer ver realizado.


'... Don't be afraid to be weak
Don't be too proud to be strong
Just look into your heart my friend
That will be the return to yourself
The return to innocence.

If you want, then start to laugh
If you must, then start to cry
Be yourself don't hide
Just believe in destiny.

Don't care what people say
Just follow your own way
Don't give up and loose the chance
To return to innocence...'


PS. Dedico esse post a uma amiga que está longe, Alane. Foi a primeira amiga que fiz quando vim para o Rio de Janeiro. E me lembro como se fosse hoje do cassete que ela me emprestou com essa música. Inevitável ouví-la sem lembrar com saudades dela e dos momentos que passamos juntas na faculdade. Se minha mãe foi o apoio de família que tive, ela foi o de amiga.