terça-feira, 26 de maio de 2009

Implacável!


Assim será minha marcação em Obina a partir de hoje. Serei mais ágil do que uma mulher-elástico. Serei mais rápida que um feixe de luz. Estarei cobrindo todos os espaços do campo. De um lado a outro. Da direita para a esquerda. De uma trave a outra. Enfim, é melhor o Obina começar logo a marcar gols pelo Palmeiras. Vou pegar no pé. E se tiver chulé... eu jogo a chuteira longe, onde ele não chega nem de ônibus espacial!

'Todo e qualquer torcedor gostaria de ver um craque defendendo seu time. Ficaria feliz ao ver que sua diretoria corre atrás de reforços e contrata jogadores que chegam para somar.' Isso, contaminada pelo léxico boleiro, apoiada nas correlações linguísticas presentes na mídia, eu Lady, blogueira, deixo aqui registrado um alto grau de insatisfação, que pode ser detectado nas minhas palavras e na minha cara, que vocês não estão vendo, lógico.

Neste momento, o registro afetivo deste post está nas alturas. Alcança um elevado patamar, representado por inúmeras blasfêmas, que não ouso reproduzir. E mais ainda com uma série quase inédita de desgosto, decepção, tristeza, antipatia...

No mundo futebolístico, que não cansa de me surpreender, tudo parece de cabeça virada. E olha que eu durmo e acordo todos os dias do mesmo lado da cama!