quinta-feira, 4 de junho de 2009

De Coverciano:

'Eu avisei: agora quem manda sou eu!'

O Centro Tecnico de Coverciano na Itália é conhecido mundialmente por ser formador de técnicos de futebol. Por lá já passaram todos os treinadores de Calcio e aqueles que estão em busca de novas chances no mercado da bola.

Recentemente veio à tona que mais um expoente do 'catenaccio às avessas' recebeu seu diploma de treinador há muito tempo atrás, mas que preferiu, por razões óbvias, manter-se incógnito.

Sílvio Berlusconi! Ele mesmo. Aliás, Sílvio é o tipo de pessoa que justamente ao contrário, não passa inobservado. Ele gosta de ninfetas e adora dinheiro. É dono de metade do país dele e possui uma lábia capaz de deixar Sílvio, seu xará do Brasil, Santos, para trás na tentativa da primeira venda da Tele-Sena.

Berlusconi quis a todo custo vender Kaká ao Manchester City. O jogador se recusou a sair do Milan, apesar da proposta estratosférica. O dono do Milan, que também é Primeiro Ministro da Itália e nas horas vagas, treina seu clube, não satisfeito, constantemente vai à mídia para dar suas opiniões sobre futebol e numa dessas, acabou descoberto.

Sabe tudo o que o Milan faz após 45 minutos de jogo? Tudo é fruto das idéias dele, que nos intervalos, desce aos vestiários e recita sua preleção aos jogadores, acompanhado de sua pracheta à la Joel Santana. Ancellotti, meus amigos, era figura decorativa. Inclusive, na contratação de Ronaldinho Gaúcho, o dono supremo, assumiu toda a responsabilidade da compra e escalação do jogador. E afirma que ele deveria jogar em todos os jogos. Os 90 minutos. Acreditem.

Nesta semana, o 'treinador' afirma que caso seu treinador, Carlo Ancellotti, tivesse ouvido suas idéias de escalação do time, o Milan teria sido campeão. Sou eu que estou confusa, ou o mundo está virando de cabeça para baixo? Leonardo que se cuide...

Aqui está uma parte da notícia, divulgada na imprensa italiana: Berlusconi si prende anche la panchina (do site Sportal.it)

"Il Milan - ha detto Berlusconi - quest'anno non ha giocato con la tattica di gioco suggerita dal suo ex presidente, lo ha fatto solo nell'ultima partita che ci ha permesso di conquistare la Champions. Abbiamo campioni come Ronaldinho che giocavano in una partita gli ultimi venti minuti e questo ha causato anche una caduta di morale nel giocatore. Il biglietto viene pagato per vedere Ronaldinho in tutta la partita, anche se lui riesce a fare bene anche in venti minuti ma è meglio che in campo ce ne sia per novanta".