domingo, 31 de janeiro de 2010

The King of 'Down Under'


Mais uma vez Federer. Primeiro Grand Slam do ano e ele mais uma vez sai vencedor... Verdade aquele ditado popular que diz 'quem é rei nunca perde a majestade'. Agora vou te contar uma coisa, aquele Andy Murray, além de feio, tem uma cara de derrotado que dá dó. Já entrou em quadra perdedor.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Ponto Final


Amigos, às 11:04 da manhã deste domingo nublado, coloquei o ponto final na minha monografia. Demorou, mas consegui. Que sensação de liberdade incrível um simples ponto pode causar na vida de uma pessoa...
Bem, agora só me resta dizer "Eu voltei!".

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Anúncio


RIP: computador Athlon AMD 64. Faleceu na manhã de 18 de janeiro, após fracassadas tentativas de reanimação. Constatou-se falha nos slots de memória. Não resistiram aos efeitos do calor e uso constante. Seu HD e som serão doados. Quem se interessar, negocio monitor de LCD LG de 15''.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

No Complaints!


Me lembro de uma 'promessa' que havia feito há uns meses atrás. Aqui no Rio, chovia sem parar. Os dias eram tristes e cinzentos. prometi então que não reclamaria nunca mais do temido calor/verão carioca, mas está f$&#@*&*¨$#@!

Sábado quando saía para almoçar com amigos, o termômetro da rua marcava 42º. Hoje, quando saí para ir ao banco, 39º, e ainda eram 9 da manhã.

Então, só para desabafar, eu disse desabafar, não é reclamar: PQP!!! Que calor, é esse?!

Em tempo, minha amiga Simone está em Oxford, Inglaterra. Maior contrste do mundo. Lá, a temperatura bate na casa dos -16º!

domingo, 3 de janeiro de 2010

Até Quando? Desabafo.

Olhar os noticiários na TV ou jornais tem sido um exercício que traz em mim sentimentos ambíguos.

A chuva que caiu nos últimos dias em várias regiões do país matou mais de 60 pessoas entre adultos e crianças. Cada vez mais as tragédias do mundo moderno atacam a população sem que autoridades tomem providências para acabar com o risco delas acontecerem.

Horas antes das tragédias anunciadas, em alguns canais de TV, as imagens das comemorações que tomaram conta do país no dia 2 de outubro eram exaustivamente repetidas em programas sobre os principais acontecimentos do ano, as famosas 'retrospectivas'.

Pergunto então: pode um país que permite a ocupação desordenada de encostas, cujos políticos distribuem terras em locias de risco para angariar votos em futuras eleições, comemorar o fato de ser escolhido sede de uma Olimpíada e Copa do Mundo se nem ao menos utiliza recursos públicos para construir moradias para aqueles que não as tem? Se há dinheiro para festas, viagens e construção de estádios para competições, por que é que na hora de assistir à população o dinheiro inexiste?

É por essas e outras que por vezes me revolto por nascer aqui e mais ainda quando vejo nas ruas pessoas comemorando loucamente a conquista de uma competição sem ao menos entenderem que a festa no final das contas não vai ser curtida por elas, mas sim pelos ricos, a elite corrupta que comanda e suga os cofres públicos. São essas pessoas que aparecerão sorridentes diante das câmeras de TV dizendo que o Rio é o lugar mais lindo do mundo, que a população aqui vive feliz e que os índices de criminalidade e violência são compatíveis com cidades semelhantes do mundo. E mais, o 'Brasil mostra para o mundo que pode ser uma nação do futuro, capaz de se organizar e fazer tudo dar certo quando necessário', diria o mais ufanista jornalista na TV.

Enquanto isso, na vida real, o tráfico de drogas comanda os morros da cidade. Pessoas morrem baleadas na rua. Helicópteros são abatidos por bandidos. Desabamentos matam famílias inteiras. As encostas permanecem ocupadas. Gente mora nas ruas. Pessoas morrem em hospitais por falta de médicos e medicamentos. Trabalhadores honestos ficam sem receber seus direitos por conta de administradores gananciosos. Pais de família perdem seus empregos por conta da crise anunciada por empresários para justificar cortes na folha de pagamento. O Presidente fala em marolinha e o Governador viaja com enorme comitiva para 'vender' o Rio ao exterior.

A Carnavália continua. Afinal, quem mora no Rio de Janeiro, estado ou capital, sabe que a vida só começa depois da diversão. Vem aí o Carnaval 2010. Qual será a tragédia que segue? Tragédia? Que é isso! Banalizada que se tornou, viver essas coisas é rotina. Não existe mais indignação e estranhamento quando se vê um homem ou uma mulher chorando sua desgraça na TV. A desgraça é dele. Pensariam alguns...

sábado, 2 de janeiro de 2010

A Imagem Diz Tudo