segunda-feira, 29 de março de 2010

Armando Nogueira

Pioneiro na televisão brasileira, foi por muitos anos responsável pelo jornalismo da maior emissora de tv do país. Torcedor doente do Botafogo de Garrincha e Nilton Santos, segundo muitos, chorava ao ver o glorioso derrotado. Confesso que nunca fui muito fã do que ele escrevia, mas sua morte deixa uma lacuna na poesia do esporte, que para muitos, ele fazia tão bem. Dizia 'o mestre', como era chamado, a seus filhos: 'Escrevam bem, faz bem à saúde'. Devo concoradar com ele e o saúdo carinhosamente.

Armando Nogueira
(14/01/1927-29/03/2010)


Foto: O Globo.com

quinta-feira, 25 de março de 2010

Separados por uma vírgula

Sabe que às vezes tenho a sensação de que o mundo está de cabeça pra baixo. Leio notícias nos jornais sobre crimes violentos, vejo na TV cenas de indignação e me sinto solidária, ao menos no Rio de Janeiro, com todos os cariocas vítimas do descaso das empresas que comandam com mão de ferro e sem pudor os transportes públicos da cidade, a saber, metrô, ônibus e trem.

Fiquei arrepiada ao ler que jogadores de futebol frequentam os locais mais perigosos da cidade em busca de diversão. Como desculpa, usam o fato de serem pessoas que querem estar perto de amigos e familiaraes que nas favelas ainda residem. Virou moda ser fiel às suas origens, como se eu, por exemplo, deixasse de ser fiel à minha, por não visitar minha cidade toda semana.

Estamos falando de jogadores conhecidos, os que a mídia fazem questão de enaltecer. Vágner Love, simpático, repondeu ao repórter que vai à festas na Rocinha porque é do local e tem ali seus projetos sociais ali. Bem, até aí, nada demais. Só que ele, para se divertir, é escoltado por traficantes que exibem suas armas, desafiando, através do medo, quem ousa questionar seus poderes sobre o domínioque comandam.

Em seguida, Adriano - ainda fresco da confusão da Chatuba, cuja protagonista foi sua noiva, no maior estilo 'Kill Bill', quebrando o que via pela frente e dando tapas, segundo algumas fontes, no próprio 'atleta' e seus amiguinhos de farra - é assunto de uma reportagem do tablóide brasileiro 'O Dia', numa história que o coloca como doador de uma motocicleta (ele comprara duas) no valor módico de 35 mil reais. O beneficiáio, melhor, a beneficiária é a mãe de um dos traficantes mais procurados da Vila Cruzeiro, que pertence ao Complexo do Alemão. Vale lembrar que o Alemão é quase que a 'Faixa de Gaza' da cidade. Todo mundo nega tudo, no meio de tanta confusão, a verdade é o que menos importa.

Pois bem, na última partida do Corinthians, Ronaldo fez gesto obsceno pra torcida, igual ao que o Balotelli costuma fazer pelos estádios italianos. E está a procura de uma mansão que abrigue sua 'enorme' família. Se tem notícia de um interesse numa que custa a bagatela de 25 milhões de reais. Lembrem-se que um dia, ele trouxe a Ferrari dele lá da Itália quando veio de férias pro Brasil.

Nossos craques são notícia. Dão exemplo de civilidade, esbanjam dinheiro, se divertem em companhia de traficantes, mantém negócios obscuros com bandidos. Eles andam aparecendo mais pelo que fazem fora de campo, do que pelo que fazem dentro dele. Uma triste cena desse mundo do avesso em que vivemos, onde os valores como dignidade, honestidade e moral parecem ter ficado lá atrás, perdidos no meio de tanta hipocrisia. Hoje, tudo é normal e permitido em nome da pluralidade e liberdade de expressão.

A classe política anda desmoralizada. Será que a praga atingirá também o esporte? Torço para que isso seja apenas um momento na nossa história. Mas, sinceramente, está difícil de acreditar que vamos sair dessa pra melhor.

Adriano e Vágenr Love: 'Dangerous Liasons'

Charge: JB online

quarta-feira, 24 de março de 2010

Reborn


'I've born and I've bread. I've cleaned and I've fed. And for my healing wits, I've been called a witch. I've crackled in the fire And been called a liar. I've died so many times. I'm only just coming to life.'

'Woman' by Neneh Cherry

I'm different now. Inside of me lies a scar of something that caused me pain and suffering. I was hopeless. But I truly believe that for every scar, a flower comes to life. Like waves it wipes away the memories of what we once felt. It is still there, although it doens't botter me anymore. Like the song, I say, I'm only just coming to life. I don't dare saying I'm stronger now. However, I have the feeling that all of what I've dreamed is still ahead of me. I feel safe in God's hands. He helped me through the rough path. When I got up in sorrow, He offered me his shoulder. When I cried in silence, He made me sleep. And the day I gave my body to the doctors, He assisted me all the way. I've just realised how powerful I am having Him by my side. I survived. I owe my past, present and future to His enlightment. I thank Him for what I am now: a woman who carries the hope of being born again, and again, every single day for the rest of her life.